UOL HOST: Hospedagem de sites, Loja Virtual, Registro de domínios
Connect with us
https://pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js

Brasil

Teatro Rival conta com Jesuton, Dexter, Alma Thomas e outras atrações em agosto

Alma Thomas. Foto: Divulgação/Pedro Milman

O Teatro Rival é uma das casas de show mais antigas do Rio de Janeiro.  Localizado na Cinelândia, na alma do Centro do Rio, ao lado da Lapa, um dos bairros mais boêmios da cidade, o local recebe, a cada dia, alguns dos maiores nomes da música nacional e internacional. Em agosto, grandes nomes chegam ao teatro para apresentações.

Confira a agenda de shows: 

03/08 (quinta-feira) Moyseis Marques canta Chico Buarque: “Se ninguém está a salvo de referencias, que elas sejam as melhores. “Assim disse o escritor Ruy Castro, resenhando o segundo disco de Moyseis Marques, “ Fases de Coração “, de 2009, onde “ Subúrbio “ – naquele momento recente canção de Chico Buarque, do disco “Carioca“ – já fazia a cabeça de Moyseis, que a gravava sob a direção de Paulão 7 cordas e dialogava diretamente com “ Cartas de Metrô “, de sua autoria, uma das treze canções do álbum que lhe rendeu as primeiras duas indicações para o Prêmio da Música Brasileira. De lá pra cá, naturalmente a influência de Chico sobre Moyseis foi saltando aos olhos do público, que gostava de comparar seus timbres de voz ( Moyseis não acha, mas há quem diga ), sua maneira orgânica e sofisticada de compor, suas interpretações viscerais que dão vitalidade `as canções de Chico e sua postura no palco, também ressaltada pelo pesquisador Ricardo Cravo Albim na resenha do disco “ Pra Desengomar “, de 2012, que lhe rendeu mais duas indicações para o ano seguinte, para o mesmo prêmio. Nem com um disco totalmente autoral a influência de Chico sobre Moyseis passou despercebida, e foi coroada pela presença do mestre num show intimista no bar Semente em 2015, onde Moyseis experimentava canções para seu quinto trabalho, o independente “ Made in Brasil “ . Chico cantou com Moyseis “ Aquela Mulher “ (solo de Moyseis na pele do protagonista Max Overseas para a montagem de João Falcão da Ópera do Malandro) e Injuriado, que Moyseis gravou no filme “ Chico , um artista brasileiro “ longa de Miguel Faria Júnior sobre vida e obra de Chico, que traz também “ Mambembe” , que acabou sendo a escolhida para integrar o filme e o disco da trilha sonora.

Um show de Moyseis cantando Chico é mais que justo, coerente e oportuno, no melhor sentido da palavra. Chico acaba de fazer campanha para o financiamento coletivo do seu primeiro DVD, pela plataforma Kickante, que está em plena atividade em 60% da meta de 120.000 reais. Moyseis já arrecadou 70.000 em plena crise – sem nenhum tipo de mescenato, só com a ajuda dos fãs e amigos.

Para esse show em solo sagrado do Teatro Rival Petrobras, Moyseis vem acompanhado do sofisticado piano de João Bittencourt (que também toca acordeom), o contrabaixo de Luis Louchard e a bateria elegante de Gabriel Guenther, e com sua voz , seu violão, seu tamborim e seu carisma, pincela a extensa obra de Chico Buarque, gênio da raça que traz sambas, baiões, xotes, canções, valsas e até um blues para o roteiro. Recentemente Moyseis compôs “ Chico para prefeito “ , samba bem humorado que celebra os 74 anos do poeta celebrados em 19 de junho, viralizando em sua rede social. No repertório podemos encontrar “ Paratodos” , que Moyseis não abre mão em seus shows de forró, “Biscate“ (com uma cantora convidada) e “Mil perdões“, entre outras surpresas que o cantor e compositor prepara para esse show único e especial – um presente para os fãs cariocas, de Chico e de Moyseis. Horário: 20h. Preços: R$ 40/20 (1o. lote) e R$ 60/30.

04/08 (sexta-feira) Teatro: Divinas Divas – O Espetáculo!: Com Divina Valéria, Jane Di Castro, Eloina dos Leopardos, Camille K e convidados especiais. O espetáculo consagrado no filme ‘Divinas Divas’, de Leandra Leal, retorna ao Teatro Rival Petrobras. O show que, em sua primeira temporada, ficou 10 anos em cartaz (até 2014) mantém o seu formato de esquetes mesclando com participações especiais. Horário: 20h. Preços: R$ 40/20. No Rivalzinho, DJ Galalau (19h à 0h).

05/08 (sábado) Baby Boom: Depois da edição histórica no mês das mães, chegou a vez dos papais. E, já que inspiração é “Pais e Filhos”, bora fazer um especial incrível de rock nacional com um showzaço da banda ROCKISTAS – power trio montado por Thiago Peguët, com exclusividade para a Baby Boom Pais e Filhos: Especial Rock Nacional no Mês dos Pais. + DJs Fábio Maia e Jorge Lz + Brincadeiras e atividades para os pequenos roqueiros + Participação Especial: DJ Janot. A BABY BOOM é uma matinê alternativa para pais, filhos e roqueiros de todas as idades. Costumam ensinar para a gente que o ser humano nasce, cresce, reproduz e morre. Em outras palavras, desde cedo, nos ensinam que, depois da reprodução, a gente morre. Pode parecer um pouco de exagero. Mas é assim que muitas pessoas encaram a paternidade: o fim de uma parte de suas vidas. A parte festeira, a parte roqueira, a parte que ia em todos os shows e festivais que aparecessem pela frente. Já era. Acabou. Morreu. A partir daí, casas de shows são substituídas por salões de festas infantis e bandas de rock dão lugar a estrelas como a Galinha Pintadinha, entre outras mudanças de vida. Diante deste cenário – e para mostrar que existe vida festeira após a paternidade – que nasceu, há 5 anos, A BABY BOOM. Uma iniciativa criada por DJs que, ao se tornarem pais e serem apresentados ao futuro descrito acima, resolveram realizar o primeiro e único e evento de rock para papais e mamães se divertirem junto com seus filhos. A Baby Boom existe para proporcionar uma verdadeira experiência de pista de dança rock and roll, apresentando música boa pra molecada desde cedo. Por falar em cedo, o horário da festa é um pouco mais light. Das 17h às 20h. Afinal, é pra levar as crianças! Todo mundo que tiver idade para dançar o rock de hoje e sempre vai poder se esbaldar com a seleção roqueira dos DJs e das bandas que se apresentam ao vivo. Mas, vale destacar que, apesar de todo o conceito da festa ser voltado para pais, mães e filhos, todos os amigos, com ou sem crianças, estão mais do que convidados. A gente quer mais é ver todo mundo bombando na pista. Horário: 17h às 20h. Preços: R$ 40 para adultos e R$ 20 para crianças que levarem 1kg de alimento não-perecível ou livro/brinquedo em bom estado. Classificação etária: Livre. Menores entram acompanhados de pais ou responsáveis legais, desde que seja apresentado algum documento que comprove vínculo familiar ou guarda comprovada pela justiça.

05/08 (sábado) Dexter part. Edi Rock e Jesuton: A expertise de Dexter adquirida em seus 27 anos de carreira, traz a segurança e maturidade necessária para explorar novos projetos, foi assim que em fevereiro de 2017 surgiu o “Ritmos & Poesia”. O projeto nasce com o intuito de unir Dexter e seus convidados, não somente artistas do RAP mas da música em geral, até pelo fato da versatilidade musical do rapper. O projeto é itinerante podendo ser realizado em locais e cidades distintas. “Uma vez a cada mês ele é executado com um convidado diferente, já recebemos artistas como: Mano Brown, MV Bill, e Edi Rock. O projeto é recente porém maduro e consistente, onde se une o fiel público do RAP e o público de outros gêneros com muita música boa”, diz o artista. Horário: 22h. Preços: R$ 30/15 (1o. lote) e R$ 40/20.

09/08 (quarta-feira) Teatro – Rival Rebolado “Show Da Fé”: Idealizado por Alê Youssef, Leandra Leal e Luis Lobianco, o Rival Rebolado está de volta para a sua 3a. temporada, dessa vez com edições mensais às quartas-feiras. Nessa temporada o Rival Rebolado estará ainda mais conectado à tradição do teatro de revista, levando à cena pela linguagem do humor, do burlesco e do desbunde, comentando os acontecimentos atuais que marcam a cidade, o país e o mundo. Cada edição tem um tema diferente e o elenco prepara números inéditos que olham com humor e crítica. As drags concorrentes do concurso também tem a missão de apresentar suas performances com esse tema. Eliminatória do concurso ‘A Melhor de 4’ com 4 candidatas onde duas serão classificadas para a próxima fase. As inscrições para participar do concurso são feitas por e-mail (rivalrebolado@gmail.com) e as participantes preparam um número musical (ao vivo, dublado ou dançado), que é julgado pelo público. Horário: Videokê: 19h30 / Espetáculo: 20h30. Preço: R$ 30 e R$ 15 (com doação de 1kg de alimento).

10/08 (quinta-feira) Keila e Natascha: Dois shows em uma noite! Depois da temporada carnavalesca junto ao Pororoca Purpurina, e depois de brilhar no comando vocal do Pirarucu Psicodélico, Natascha inaugura-se sonora e solo. Num show cheio de teatralidade, Natascha mostra a potência de sua encantaria ao lançar sucessos da música popular babilônica, interpretando canções de Fagner, Chico Buarque, Dona Onete, Gaby Amarantos, Chico Science, Luiz Gonzaga, além de canções autorais e compositores da nova geração. A atriz, cantora e performer aproveita-se de seu neo-erotismo e dá corpo e voz a canções que falam sobretudo de amor, prazer e liberdade/libertinagem, ao mesmo tempo que conta uma história que se confunde com a sua: uma viagem do litoral nordestino, que passa pelo sertão de sua adolescência, que se conecta via o brega com o norte, que se mete pelo carimbó amazônico, e escorrega pro sudeste com seus tons carnavalescos. Tudo isso com arranjos modernizados e cheios de efeitos, resultando num trabalho muito pop, divertido e bonito de ver. A ousadia e versatilidade dos figurinos sempre foi parte importante da identidade visual das performances da artista: seja com um novo estilo de cabelo, uma saia que vira capa, ou uma sutil troca de roupa.  Após ser apresentada ao Brasil com a banda Gang do Eletro, a cantora e compositora Keila lança seu primeiro trabalho solo, pela Deck. No EP, que leva seu nome, ela mostra toda a força da sua voz e maior pluralidade sonora, em um ritmo enérgico e dançante, indo além do que fazia no grupo que a consagrou. As seis músicas do EP, produzidas pelo DJ ProEfx e gravadas no Rio de Janeiro, são de sua autoria, com exceção de “Olhe Meu Bem” (Gerssica Gessi). A manauara, que entrou em contato com a música paraense aos 17 anos, buscou unir as referências do tecnobrega com outras importantes no seu desenvolvimento musical. Dessa forma, o EP traz elementos do pop, rap, cumbia, dubstep e ragga. Suas letras trazem temas diversos, entre eles a dança e o ritmo, como em “Tecnobrega É o Poder”, que já tem seu clipe disponível no YouTube. Ou em “Funkzera” e em “Power Beat”, em que ela instiga o ouvinte a dançar. “Vou te Provocar” e “Baby Cumbia”, tem letras que falam de paixão, em batidas mais sensuais, sendo que a primeira traz uma batida eletrônica, enquanto a outra é uma cumbia envolvente. Keila receberá o músico Donatinho como convidado. Horário: 20h. Preço: R$ 50/25.

11/08 (sexta-feira) Noca da Portela – Lançamento “Homenagens” (Part. Wanderley Monteiro, Neguinho da Beija Flor, Zé Katimba, Lu Carvalho, Ataulfo Alves Júnior, Darcy Maravilha, Roberto Serrão, Roberto Medronho, Charlles André, Celso Lopes e Léo Russo): Esse é o título do novo CD de Noca da Portela. As homenagens a que o artista se refere podem ser a lugares – a Minas Gerais natal, o Rio de Janeiro que adotou como seu, Bahia, São Paulo e Brasília –, assim como pode ser aos parceiros – como Nelson Cavaquinho, Dona Ivone Lara e o acadêmico imortal Arnaldo Niskier –, a famosos e desconhecidos – caso de Tia Surica e do idoso que se exercita diariamente no entorno do Engenhão –, ou mesmo ao próprio samba, que festeja seu centenário e ao qual Noca agradece: “Tudo o que a vida me deu eu devo ao samba”. Mas a verdade é que, para o fã que se delicia ouvindo o CD, quem merece toda e qualquer homenagem é o próprio Noca da Portela. Aos 84 anos de idade e 62 anos de samba, o cantor e compositor merece mesmo ser reverenciado. E é justamente isso que faz Martinho da Vila na apresentação do trabalho: “Noca é um artista muito atuante. Com sambas de enredo seus,  várias escolas já desfilaram – Irmãos Unidos do Catete, Paraíso do Tuiuti, Portela… Suas músicas carnavalescas embalaram inúmeros desfiles de grandes blocos – Barbas, Simpatia É Quase Amor, Cacique de Ramos…”. São mais de 400 sambas inéditos guardados, 15 dos quais saíram da gaveta e acabam de ser gravados pelo autor sob a regência e com os arranjos de Mauro Diniz. Além dos parceiros famosos, há também as pratas da casa: os netos Danielle Vilela, com quem compôs o tão atual samba “Direitos da mulher”, e Diogão Pereira, presente nos créditos de “Obrigado meu samba” (ao lado também de Sergio Fonseca) e “Abraço afro” (ainda com Rafael Massoto), samba que Noca dedicou a todos os negros do mundo – citando ícones como Martin Luther King, Nelson Mandela e Zumbi; e outros nomes do samba, caso de Paulo da Portela, Alcione, Leci Brandão e Teresa Cristina. Horário: 20h. Preços: R$ 30/15. No Rivalzinho, DJ Will Robson (19h à 0h).

12/08 (sábado) Feijoada da Katita com roda de samba de Marquinhos de Oswaldo Cruz: Marquinhos de Oswaldo Cruz é sambista, cantor e compositor, o artista comanda a mais tradicional roda de samba do coração do subúrbio carioca, enraizada em Oswaldo Cruz. É um show regado a partido alto, samba de raíz, de roda e samba-enredo. No repertório sucessos autorais como: ‘Geografia Popular’, ‘Eterna Chama’ e ‘Luz de Verão’, ‘Maria de Todas as Graças’, ‘Memórias’ além de composições de grandes mestres do samba como Candeia, Paulo da Portela, João de Aquino e Luiz Carlos Máximo. Tradicionalmente, os músicos que o acompanha nesta formação são de primeira. Marcio Vanderlei (cavaco), Pirulito (percussão geral), Alex Almeida (percussão), e Leandro Pereira (violão 6 cordas). Tudo isso acontece junto com uma das melhores feijoadas da cidade comandada por Kátia Barbosa (Aconchego Carioca). Horário: 12h às 17h. Preço: R$ 60 (com feijoada) e R$ 100 (duplo – promoção).

12/08 (sábado) Festa Salve Simpatia Convida Bloco Vem Cá Minha Flor: O Teatro Rival recebe uma mistura que tem tudo pra ser histórica na noite carioca! Vem Cá Minha Flor, o bloco de carnaval que leva música, flores, alegria, purpurina e folia pelas ruas do Rio se junta à Salve Simpatia, a festa que toca 100% de música brasileira de todos os estilos pra fazer um verdadeiro carnaval fora de época. Line-up: DJ residente (e criador da festa) João Rodrigo (Modinha! A Festa / Moderninha) + DJ Sandro Black e as projeções alucinantes da musa da imagens, VJ Lê Pantoja. Horário: 23h. Preços: R$ 40.

15/08 (terça-feira) Teatro – Luas de Há Muito Sóis: Peça de teatro inspirada no conto “As Três Irmãs”, de Mia Couto, narra a história de Gilda, Flornela e Evelina, filhas do viúvo Rosaldo, que crescem isoladas do mundo como propriedades exclusivas do pai. Porém, tudo se desestrutura com a chegada de um jovem forasteiro… No espetáculo, escrito e dirigido por Moncho Rodriguez, o conto original se transmuda na jornada de três velhas irmãs que viajam num espaço-tempo encantado à procura das portas do mundo: metáfora poética para a busca que empreendem por si mesmas e por um destino mais amoroso. Juntas, retornam ao passado e revivem o conto, como quem visita a própria memória, para desvendar o íntimo de suas histórias. Três mulheres, três vultos de aves velhas, três agouros, três desejos, três irmãs juntas e desencontradas. Primeiro espetáculo da Cia Nina – Companhia Feminina de Ritos da Cena, nascida do encontro de Marina Duarte, Natascha Falcão e Priscila Danny – Luas de Há Muito Sóis é um mergulho nas profundezas e imaginários fantásticos do universo feminino. Horário: 20h. Preços: R$ 30/15 .

16 e 17/08 (quarta e quinta-feira) Teatro – “Em Nome do Filho”: “Em nome do Filho” é uma comédia dramática de autoria de Dolores Delrio. O espetáculo se passa em um dia numa sauna gay, a Brasil Dourado, onde é mostrada a realidade de uma sauna. Números musicais são apresentados entremeados com shows de dança. Liuba, o dono, sofre com a perda de seu filho, que foi afastado de seu convívio desde criança. Ele tem um romance complicado com Roby, um ex-garoto de programa. Odetinha, empregado da sauna, é aliado de Liuba e o único que sabe de seu passado. Na trama são apresentados ao público tipos característicos de gays que frequentam as saunas: O debochado, o poderoso, o prático, o casado e o carente. Eles interagem nas cenas cômicas com os garotos de programa, belos rapazes da sauna. O foco central da história é a procura de Liuba pelo seu filho Júnio, que através de uma carta é informado de quem é ele e por uma coincidência perversa do destino está trabalhando na sauna. Liuba se aproxima e conquista a confiança de Júnio para retirá-lo de lá, rompendo com Roby (seu amante) que por não saber do fato se desespera. Num encontro emocionado eles se entendem e os três terminam juntos, revelando uma grande história de amor. Direção: Marco Miranda. Elenco: Dolores DelRio, Luiz Xaxu, Gustavo Azaranys, Yago Custodio, Matheus Freire , Bruno Islam, Anderson Lopes e Ângelo Antônio. Horário: 20h. Preços: R$ 40/20.

18/08 (sexta-feira) Festa  – La Cumbia convida grupo Kumbiamba: Com os ouvidos abertos para as Américas, nasce a La Cumbia. Uma reunião de  Djs, músicos e amantes da Cumbia e toda sua diversidade musical. A festa tem como proposta, apresentar um pouco das sonoridades que vem da Colômbia, Argentina, Peru, Venezuela, Chile e outros países vizinhos ao Brasil. Viva a união pelo som, rompendo as fronteiras geográficas, onde quem impõe o ritmo são os tambores, os beats eletrônicos, as gaitas e as maracas. Nessa edição, trazemos ao palco o Grupo Kumbiamba. Kumbiamba é uma banda formada em 2009 por músicos de diferentes países da America do Sul: Chile, Peru, Colômbia e Brasil, com paixão comum pelos ritmos afro-colombianos e profundo interesse pela riqueza cultural do continente. Na sua primeira formação em 2009 recebeu o nome de Macumbia, sendo rebatizada Kumbiamba em 2013. Ela está composta por músicos provenientes de diferentes bandas que possuem reconhecimento na cidade do Rio de Janeiro, entre elas: Songorocossongo, Fanfarrada, Los Cuatro, Orquestra Revelia, Mano a Mano e Terreirada Cearense. Kumbiamba é a única banda carioca que se dedica exclusivamente à musica colombiana. O grupo apresenta um repertório que envolve instrumentos de raízes africana e indígenas do caribe colombiano: tambores tradicionais, maracas e gaita colombiana, assim como, o clarinete, muito utilizado no folclore do país. Recentemente, Kumbiamba passou a incluir em sua formação instrumentos elétricos, como o baixo e a guitarra, criando assim uma fusão entre linguagens tradicionais e contemporâneas, como o jazz e o rock, sem perder a conexão com os ritmos afro-colombianos, que são a essência e o coração de seu trabalho. A proposta do grupo é levar o publico a conhecer a música afro-colombianas tão próxima em suas raízes da música brasileira. Kumbiamba pretende assim ajudar na construção de uma identidade Latino-Americana, fortalecendo laços culturais entre países irmãos. Formação da Banda: Aline Gonçalves: Clarinete e voz, Victor Giraldo: Percussão, Samuel felipe- percussao, Claudio Lima: Percussão e voz, Maju Nunes: Percussão e voz, Sergio ruda brauns -guitarra, Luis Barrueto: Percussão e Pedro Rondon- baixo. Horário: 22h. Preços: R$ 50/25. No Rivalzinho, Festa Baleia (19h à 0h).

19/08 (sábado) Mojubá – Uma referência à consciência: Afrojazz, Jesuton e Larissa Luz: Horário: 21h. Preços: R$ 40/20 (1o. lote) e R$ 50/25.

23/08 (quarta-feira) Michael Sweet & John Schlitt: Michael Sweet (do Stryper) e John Schlitt (do Petra) pela primeira vez juntos! Um show com as duas maiores vozes do rock cristão mundial, tocando os principais clássicos de suas bandas e carreiras solo.

24/08 (quinta-feira) Banda Três Quartos: Julia Bosco, Emerson Leal e Gustavo Macacko part. Mart’nalia e Simone Mazzer: “Em três quartos cabe a gente, tem um de cada jeito/ Três memórias que marcaram lugar no mesmo peito/ Cada parte que se toca provoca o corpo inteiro/ E o mundo inteiro” – Com esses versos, Emerson Leal, Julia Bosco e Gustavo Macacko sintetizam a ideia de seu novo projeto intitulado ‘Três Quartos’: confluir e somar experiências, ideias e sons. O atual trabalho desses três artistas (cujas carreiras individuais já́ se cruzaram em vários momentos de parcerias e colaborações) agora se volta para a integração de seus universos coletivamente. Uma fração de cada, para um todo plural. O show traz composições inéditas, criadas especialmente para este projeto, além de releituras de canções de seus repertórios solo, e de outros compositores, que contemplam e alcançam o espírito e a concepção do ideal artístico do Três Quartos. O formato acústico valoriza a canção, ao mesmo tempo em que convida à união: do público, cantores, instrumentistas, poetas, autores. Por isso, a concepção do show Três Quartos sempre traz ao menos um convidado ao lado do trio no palco. A proposta é justamente a de chegar mais perto de quem estiver com ouvidos e corações abertos, para se aventurar conosco nessa jornada musical. Perto o bastante para que sejam parte fundamental e complementar essa conjunção astral, musical e de existência. O acaso já chamou. Quem quiser, pode vir. Horário: 20h. Preços: R$ 50/25.

25/08 (sexta-feira) Alma Thomas Convida: Alma Thomas é uma voz fixa na cena de jazz no Rio. A cantora, compositora e arranjadora é Nova Iorquina radicada no Rio de Janeiro e possui uma das vozes mais limpas, flexíveis e marcantes que já ouvimos por aqui. A cada dia com mais fãs pelo Brasil afora desde sua celebrada participação no The Voice Brasil em 2012, ela usa a voz com dedicação e técnica similares a de um instrumentista e sempre nos impressiona pela capacidade vocal. Alma se dedica à fundo ao repertório que lhe é proposto, respeitando a tradição do jazz, blues, bossa nova, samba e mpb. Alma se mudou para o Rio de Janeiro em 2004. Desde então Alma vem construindo sua carreira promovendo sua mistura rítmica multicultural, com composições incluídas nos longas “Se Eu Fosse Você”, “De Pernas Pro Ar”, e as novelas “Passione” e mais recentemente “Pega, Pega” ambos do Rede Globo. Convidados: Nelson Faria (guitarra) Luana Mallet (Ex-The Voice Brasil) e Indiana Nomma (cantora de Jazz). Horário: 20h. Preços R$ 50/25. No Rivalzinho, DJ Doni (19h à 0h).

26/08 (sábado) Jay Vaquer: Nascido no meio musical, aos dez anos já tocava violão e gravava jingles. Protagonizou 
em 2000 o musical Cazas de Cazuza. Depois do sucesso do musical, lançou seu 
primeiro disco, “Nem Tão São”, onde saíram os singles “A Miragem” e “Aponta de um 
Iceberg” que renderam indicação ao VMB. Em 2003, gravou seu segundo álbum, 
”Vendo a Mim Mesmo”, com a gravadora EMI, também indicado ao VMB. 
Seu terceiro álbum, “Você não Me Conhece”, lançado em 2005 também EMI, foi o 
primeiro com material completamente autoral e teve como singles as faixas “Cotidiano 
de um Casal Feliz” e “A Falta que a Falta Faz”, que rendeu indicação ao Prêmio 
Multishow e ao VMB.
Em 2007 lançou “Formidável Mundo Cão”, que foi masterizado por Leon Zervos. A 
canção “Longe Aqui” foi o destaque do album. Em 2009 lança seu primeiro DVD 
(também editado em CD, pela Som Livre), com a gravação ao vivo do show “aLive in 
BraZil”, que aconteceu no Vivo Rio para um público empolgado de mais de 4.000 
pessoas. Ainda em 2009, participou do especial “Som Brasil”, programa da Rede Globo 
de Televisão que homenageou o cantor Renato Russo. 
Em julho de 2011, Jay Vaquer lança “Umbigobunker!?”, seu sexto CD da carreira , que 
teve indicação ao Grammy Latino 2012. Produzido pelo premiado Moogie Canazio.
Em 2016 é lançado “Canções de Exílio” , o novo trabalho do Jay Vaquer, distribuído pela Sony Music. Jay apresenta seu trabalho sem medo de mostrar a que veio e sem 
medo de expor a realidade na qual o nosso país se encontra, com suas composições 
repletas de personagens e conteúdo. Canções de Exílio é um trabalho que exprime a 
identidade do artista, embora tenha uma proposta diferente dos discos anteriores, 
aqui há um maior flerte e experimentação com a música eletrônica. Mais uma 
parceria com Moogie Canazio. Horário: 20h. Preços: R$ 100/50 (setor A), R$ 80/40 (setor B) e R$ 60/30 (lounge).

30/08 (quarta-feira) Cabaré Diferentão: Irreverência, questionamento social, diversidade e empoderamento feminino. Essas são as armas do burlesco, gênero artístico defendido pelo Cabaré Diferentão. O espetáculo faz parte da programação especial do Teatro Rival no mês de conscientização LGBT. Uma reapresentação já está marcada para quem não conseguir comparecer na data: para o dia 30 de agosto. Com curadoria de Isabel Chavarri (a burlesca Delirious Fênix), o show de variedades traz nomes recorrentes nas festas e shows de cabaré cariocas, como Fairy Adams, Eva Brazil, Chayenne F., Iara Niixe, Frankie Monstro, Lola La Fabulosa e Blondiabolique. A apresentação vem na esteira de uma série de eventos com foco na arte burlesca que vêm tomando a agenda do Teatro Rival. Mensalmente, o Rival Rebolado promove encontro de teatro de revista, drag queen e burlesco. O Yes, Nós Temos Burlesco integrou artistas do gênero de diversas partes do mundo no mês de maio. Horário: 20h. Preços: R$ 40/20.

Serviço:

Teatro Rival Petrobras

Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro

(21) 2240-9796

Capacidade: 400 pessoas

Censura: 18 anos

Bilheteria (novo horário): terça à sexta das 13h às 21h; sábados e feriados das 16h às 22h.

SHOPPING

Inscrever-se na Newsletter

Daniel Outlander
Written By

Jornalista, publicitário e diretor de jornalismo do PopNow, trabalha na área há 8 anos. Amante de música Pop e uma boa leitura, já foi a tantos shows que nem consegue lembrar. Já cobriu eventos como Rock in Rio, Lollapalooza Brasil, conheceu o Papa e busca o sucesso do portal.

Mais Populares

Tênis exclusivo de Lil Nas X com sangue de verdade, esgota em menos de 1 minuto

Rap/Hip Hop

Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Michael B. Jordan estrela novo filme do Prime Vídeo, confira o trailer e data de estreia

Filmes

Foto: Reprodução Foto: Reprodução

BTS anuncia datas de lançamentos de novo álbum e nova musica ‘Film Out’; confira

Pop

Foto: Reprodução/Instagram Foto: Reprodução/Instagram

Pocah quebra contrato para entrar no BBB e deve pagar divida milionária; entenda

#BBB

Advertisement
Inscrever-se na Newsletter

Copyright © PopNow 2017 - 2021. Todos os Direitos Reservados.

Connect
Inscrever-se na Newsletter