Opinião

Opinião: Álbum ‘Vida’, de Luis Fonsi, traz de volta lado original e romântico do cantor



Luis Fonsi carrega uma carreira de mais de 20 anos – seu primeiro disco de estreia foi em 1998 com “Comenzaré” e depois daí não parou mais e já acumula oito álbuns. Quem já conhece o porto-riquenho sabe que seu forte é como cantor romântico, com as baladas latinas.  A curva no repertório do latino e que o fez se tornar uma explosão mundial, foi com o sucesso “Despacito”, consagrando o single a 1° lugar da Billboard Hot 100, quatro prêmios no Grammy Latino em 2017 e três indicações no Grammy Awards do mesmo ano. Além de receber certificado de platina pela RIAA e completando dois anos da faixa, o clipe ainda continua batendo recordes de views no Youtube – já sendo mais de 6 bilhões. Seguindo essa linha dançante, Fonsi ainda lançou “Échame la Culpa“,  “Calypso” e “Imposible” .

Com seu lado romântico Luis Fonsi chega nesta sexta-feira (1) com o tão aguardado nono disco, intitulado “Vida”  trazendo de volta suas raízes fincadas lá atrás e originais. A faixa que abre e fecha o disco é “Sola”  (com a primeira na versão em espanhol e a última em inglês) que já havia sido lançada na quinta-feira (23), o cantor trouxe um equilíbrio e casou o romantismo com um pouco do pop latino, ou seja uma pegada moderna que conquistou o público novo e ao mesmo tempo minimalista. “Apaga la Luz” que já tinha sido apresentada em shows puxa ao R&B, com um ritmo mais rápido do estilo dançante.

Mas se for para falar onde é realmente Fonsi do inicio da carreira, basta ouvir a terceira da traklist, intitulado “Le Pido al Cielo” que é totalmente romântica e calma. “Poco  a Poco” é definido no começo com o violão com uma leve batida e uma letra com uma declaração de amor assim como todas. Já “Dime Que No Te Irás” é o melodrama com tensões emocionais em excesso, ao logo de 4m21s de música. “Tanto para Nada” está entre a primeira faixa que predomina o romantismo, mas no decorrer recebe uma pegada mais para cima, assim como a décima do disco com  “Más Fuerte Que Yo”. E a última inédita “Ahí Estás Tú” é o momento mais  intimista do porto-riquenho que encontramos  com o toque suave do violão e voz.

Ao todo, 15 faixas compõe o álbum “Vida”. Além das inéditas, estão presentes também “Despacito” com a versão original com Daddy Yankee e o remix com Justin Bieber,  “Échame la Culpa” com Demi Lovato e “Calypso” com Stefflon Don e o remix com Karol G e “Imposible” com Ozuna.

Ouça “Vida”:

 

 

 

 

 

 

 

Opinião: Álbum ‘Vida’, de Luis Fonsi, traz de volta lado original e romântico do cantor
To Top