Rock in Rio

Rock in Rio anuncia Bastille, HAIM e Diogo Piçarra para edição em Lisboa

Foto: Divulgação

Num estilo indie rock e rock alternativoBastille trazem à Cidade do Rock o seu último álbum, Wild World, e vários hits que vão fazer o público vibrar, como “Flaws”, “Laura Palmer”, “Things We Lost In The Fire” e “Pompeii”, o single que invadiu as rádios nacionais e pôs os fãs a cantar em uníssono. A banda já recebeu múltiplas distinções, como uma nomeação para o Brit Award Nomination, na categoria de Best British Group, sendo ainda a banda vencedora do Best Album 2017 dos NME Awards, e tendo sido nomeada para as categorias de Best British Band, Best Live Band e Best Track.

https://www.instagram.com/p/BeXWs7fgmJ9/?hl=pt-br&taken-by=rockinriolisboa

E neste mesmo dia, as HAIM também terão Something to Tell You! As três irmãs americanas – Este Haim (baixo), Danielle Haim (guitarra e bateria) e Alana Haim (guitarra e teclado) – foram múltiplas vezes nomeadas para alguns dos mais importantes prêmios do mundo da música, incluindo o GRAMMY, e fizeram ainda parte de tours de grandes nomes como Florence and the Machine e Mumford & Sons. O trio americano já atuou nos palcos de grandes festivais, e em junho, marca presença pela primeira vez no Rock in Rio-Lisboa. 

Diogo Piçarra também promete surpreender os fãs com os seus maiores hits – como “Dialeto”, “História”, “Tu e Eu” ou “Só Existo Contigo” – e temas do seu mais recente álbum, do=s. Intérprete das suas próprias músicas, foi em 2017 que o artista deu os primeiros passos fora de Portugal, com concertos por todo o mundo. Mas a presença do músico português no exterior solidifica-se com a participação especial na música “Trevo”, da dupla brasileira Anavitória, tendo atingido rapidamente os milhões de visualizações no YouTube e é, atualmente, um hit de sucesso nas rádios. Com o seu último disco, Diogo Piçarra promoveu mais de 70 concertos em apenas um ano e os seus primeiros singles bateram recordes de visualizações no YouTube e já receberam múltiplas nomeações e distinções.

Os “revolucionários” Bastille

Bastille. Foto: Divulgação

Foi pela mão do londrino Dan que os Bastille começaram o seu percurso. Sozinho no seu quarto, começou a divulgar 300 cópias do single de estreia da banda de boca em boca, junto com algumas mixtapes inteligentemente remixadas. Esse esforço, fez com que, em apenas três anos, e com a integração de Chris Wood na bateria, Will Farquarson na guitarra e Kyle Simmons no teclado, os Bastille se tornassem num fenômeno global.

O álbum de estreia que a banda conquistou as paradas – Bad Blood – vendeu mais de 4 milhões de cópias e 11 milhões de singles. No Reino Unido, foi duas vezes escolhido como 1º lugar, alcançou a Dupla Platina e seu álbum digital foi eleito o mais vendido de 2013. Os singles “Pompeii”, “Flaws”, “Laura Palmer” e “Things We Lost In The Fire” ajudaram os Bastille a se tornarem um dos maiores sucessos de vendas mundial, com bilhões de transmissões no Spotify, dando-lhes o prêmio British Breakthrough, tendo ainda sido nomeados para os GRAMMY.

Do seu percurso fazem parte colaborações com artistas como Haim, Kate Tempest e Angel Haze. Co-fundador de uma editora indie (Best Laid Plans), Dan ajudou a promover artistas como Rag ’N’ Bone Man e Rationale.

A banda começou 2017 em grande estilo, comemorando a Brit Award Nomination na categoria Best British Group, e vencendo o prêmio Best Album 2017, dos NME’s Award, além das nomeações para Best British Band, Best Live Band eBest Track. Estas distinções seguem-se às quatro nomeações para as quais foram indicados em 2014, altura em que venceram o prémio Best British Breakthrough Act.

O segundo álbum dos Bastille, Wild World, estreou como número 1 do Reino Unido, onde permaneceu duas semanas, sendo que em apenas uma semana vendeu mais de 35 mil cópias. Hoje é Disco de Ouro no Reino Unido e já vendeu mais de 600 mil cópias no mundo todo.

As irmãs HAIM

HAIM. Foto: Divulgação

Foi durante a escola primária que as irmãs Haim se lançaram na música, como elementos de uma banda que formaram com os pais, tocando clássicos do rock em feiras de rua e espetáculos de caridade em San Fernando, na Califórnia. Mas foi há onze anos que Danielle (guitarra e bateria), Este (baixo) e Alana (guitarra e teclado) “se emanciparam” e formaram o seu próprio grupo.

Depois de tempos ensaiando na casa dos pais, as irmãs começaram a marcar os seus primeiros espetáculos na cidade. Sete anos mais tarde e após aperfeiçoarem as suas músicas, lançaram Days Are Gone, que vendeu quase 100 mil cópias na primeira semana. Com um hit no TOP 10 dos Estados Unidos e o álbum número 1 no Reino Unido, as HAIM foram nomeadas para Best International Group nos Brit Awards e ainda para os GRAMMY, como Best New Artist.

Quando chegou a hora de produzir um novo álbum, as HAIM precisavam criar seu próprio material. Se aventuraram na estrada – desde que começaram a acompanhar tours de grandes artistas, não pararam mais – e voltaram para casa a fim de trabalhar num novo disco. Com Something to Tell You, a banda tem ido cada vez mais longe, cumprindo a promessa desde que estrearam e tornando-se verdadeiras portadoras da chama do rock & roll.

Diogo Piçarra vai estrear no Palco Mundo

Diogo Piçarra. Foto: Divulgação

Cantor, compositor, autor, músico e produtor, Diogo Piçarra é, atualmente, um dos maiores nomes da música portuguesa. Lançado em 2017, o seu segundo álbum – do=s – entra diretamente para o nº 1 do top nacional de vendas e recebe Disco de Ouro. Com este álbum, Diogo Piçarra fez a sua maior tour, dando mais de 70 concertos num ano, entro os quais concertos esgotados nos Coliseus do Porto e Lisboa, e os primeiros singles bateram recordes pessoais de visualizações no YouTube. “Dialeto” alcançou o Single de Platina e “História” o Single de Ouro.

PopEntrevista: Diogo Piçarra

Mas foi em 2006 que o artista português iniciou o seu percurso nas primeiras aulas de guitarra e, um ano depois, ajudou a fundar a banda algarvia “Fora da Bóia”. Começou a escrever, a compor, a cantar e a tocar ao vivo e chegou a participar em vários programas de televisão. Em 2011 renasce como artista, criando bases para uma carreira solo e iniciando-se na internet, criando várias versões acústicas para o seu canal de Youtube.

Depois de vencer a 5ª edição do programa “Ídolos”, onde foi premiado com um curso de música com a duração de 6 meses na London Music School, em Londres, e um contrato discográfico com a editora Universal Music Portugal, Diogo Piçarra volta a Portugal com o diploma de melhor aluno e pronto para compor o seu primeiro álbum. Espelho alcança na primeira semana o número 1 do top nacional de vendas, é Disco de Ouro e, em 2017, chega a Disco de Platina.

No ano passado, o artista fez seus primeiros concertos fora de Portugal – Paris, Zurique, São Paulo e Macau – fortalecendo as relações além das fronteiras do país luso, com a sua primeira parceria quando colaborou na música “Trevo”, da dupla brasileira Anavitória, que rapidamente atingiu milhões de visualizações no YouTube. Em sua primeira passagem pelo Brasil, Diogo bateu um papo bastante descontraído com o PopNow.

Além da música, o artista iniciou-se na escrita com o projeto “Diogo Piçarra Em Pessoa”, onde reinventa e reinterpreta poemas de Fernando Pessoa. Ele reforça também as suas relações de amizade com outros artistas através da música, dando origem a temas de sucesso como “Wall Of Love” dos Karetus e “Entre As Estrelas” de Jimmy P, temas nos quais participa como autor e cantor.

Rock in Rio anuncia Bastille, HAIM e Diogo Piçarra para edição em Lisboa
To Top