UOL HOST: Hospedagem de sites, Loja Virtual, Registro de domínios
Rouge. Foto: Taty Larrubia/PopNow
Brasil

Exclusivo: Lu Andrade pode, novamente, ter sido causadora do fim do Rouge

Foto: PopNow/Tatiane Larrubia

PUBLICIDADE

Como o PopNow divulgou com exclusividade, o Rouge chega ao fim em 2019. Anunciado como uma “pausa”, a parada do grupo é consequência de problemas internos e divergências, que levaram as integrantes ao seu esgotamento. Após mensagens, vídeos e posicionamentos em suas redes sociais, Aline Wirley, Fantine Thó, Karin Hils, Li Martins e Lu Andrade planejam seguir caminhos distintos.

Mas em 2018, enquanto ainda pensavam como grupo, um fator foi determinante para o início do fim: Lu Andrade assinou contrato com a Record TV para participar do programa “Dancing Brasil“, apresentado por Xuxa, em que ficou em segundo lugar.

Segundo uma fonte, a assinatura de Lu com a Record fechou portas para o grupo em outras emissoras, principalmente a Globo, em que as artistas estrearam oficialmente em 2018, participando dos programas Altas Horas e Domingão do Faustão.

De acordo com a fonte em afirmação exclusiva ao Portal PopNow, Lu Andrade teria assinado contrato sem consentimento das outras integrantes do grupo que, até então se desdobravam para se manterem focada aos shows e gravações de novas faixas e clipes para o quinteto.

A história se repete. Em 2004, dois anos após a criação do Rouge no extinto reality musical do SBT Popstars, Lu Andrade – até então conhecida por Luciana – anunciou o rompimento de sua parceria com as outras integrantes objetivando sua carreira solo. Como girlband, foram lançados apenas dois álbuns Rouge (2002) e C’est La Vie (2003). Após saída de Luciana, o grupo continuou como quarteto apresentando outros dois projetos de estúdio: Blá Blá Blá; e Mil e Uma Noites, antes do anúncio definitivo do fim, em 2006.

Pablo Falcão e Tiago Abravanel

O retorno oficial do Rouge aconteceu após pedidos dos fãs, que usavam as redes sociais das artistas para solicitar um reencontro. Aline, Fantine, Karin e Li até haviam estado juntas em uma outra ocasião, onde gravaram um vídeo caseiro, reunidas, aguçando pedidos de retorno. Na época, Lu Andrade afirmou que não voltaria ao grupo.

Mas Pablo Falcão, atual empresário do Rouge e dono da festa Chá da Alice, e o cantor, ator, produtor e empresário Tiago Abravanel, amigo das integrantes, foram cruciais para o retorno da girlband.

De acordo com uma fonte, nos bastidores, eles foram determinantes para resoluções de problemas entre as integrantes, e foram responsáveis por investimentos financeiros até a assinatura do novo contrato do Rouge com a Sony Music, atual gravadora, em 2018.

Integrantes falam sobre fim

Após o anúncio da “pausa”, algumas das integrantes do Rouge foram às redes sociais para falarem do processo. A banda, que lançou o clipe de “Solo Tu” recentemente, planejam ainda o lançamento do álbum “Les Cinq“, no início de fevereiro.

Comprometidas com o projeto, Li Martins, Fantine Thó, Aline Wirley e Karin Hils usaram o Instagram para se explicar e expressar sentimentos com o novo fim do grupo. Em live na última quarta-feira, 23, Li falou sobre o quão estava comprometida com os novos passos do Rouge, inclusive, mencionando que esteve presente em todos os ensaios, gravações e compromissos firmados quando tinha acabado de dar a luz à Antonella, sua primeira filha, recém-nascida na época.

“Poucos de vocês tem filhos e não devem imaginar como é deixar um filho em casa. Isso é por muito amor e gratidão, muito respeito por vocês. São sacrifícios que a gente fez, que a gente se orgulha muito” – Li Martins.

Mas em um comentário no Instagram, Fantine pode ter entregado sua companheira Lu Andrade. Ao responder mensagem de um fã na rede social, a brasileira deixou a entender que a culpa era realmente de Luciana.

O fim do grupo é incerto. Com a chegada do novo álbum, em fevereiro, há possibilidade da realização de shows ou até uma turnê de despedida.

SHOPPING

Exclusivo: Lu Andrade pode, novamente, ter sido causadora do fim do Rouge

To Top