UOL HOST: Hospedagem de sites, Loja Virtual, Registro de domínios
Conecte-se conosco

Brasil

50 anos de Chorão: Panda, vocalista que assumiu os vocais do Charlie Brown Jr., fala sobre legado do artista

Charlie Brown Jr. Foto: Reprodução / Instagram (@charliebrownjroficial)

Em 9 de Abril de 1970, nasceu Alexandre Magno Abrão, que veio a se tornar Chorão, líder do grupo Charlie Brown Jr., que fez muito sucesso na década de 90 e no início dos anos 2000.

A banda, que cantava sobre as descobertas e desafios da adolescência e da vida adulta, além de tocar em temas como a dificuldade de crescer profissionalmente, a necessidade de ascensão social e a busca pela autorrealização, tudo isso com um vocabulário fácil de ser compreendido, até hoje reúne um séquito de fãs.

Não por acaso: além de ter sido retrato musical de uma época, promovendo grande influência nos novos artistas brasileiros, o Charlie Brown Jr. terminou de forma triste e muito marcante.

Em 6 de Março de 2013, Chorão foi encontrado morto em seu apartamento em São Paulo. Na ocasião, o vocalista tinha apenas 42 anos de idade.

Seis meses depois, o baixista da banda, Luiz Carlos Leão Duarte Junior, também conhecido como Champignon, cometeu suicídio em seu apartamento, deixando a esposa grávida.

Em Abril de 2019, Alexandre Abrão, filho de Chorão, comunicou que o Charlie Brown Jr. realizaria uma turnê de 25 shows, em homenagem a Chorão e Champignon. Intitulada “Tamo aí na atividade: celebração ao Charlie Brown Jr.“, a primeira apresentação aconteceu no dia 13 de julho, em São Paulo, e uma das mais célebres foi em setembro, no Rock in Rio.

A formação da banda, no momento, inclui Marcão Britto (guitarra), Heitor Gomes (baixo) e Pinguim Ruas (bateria), que fizeram parte de diferentes formações do Charlie Brown Jr., além do vocalista Panda, que também faz parte da banda La Raza.

Na ocasião do Rock in Rio, conseguimos bater um papo rápido, mas sincero com Panda. Para homenagear os 50 anos de Chorão, liberamos a entrevista exclusiva hoje. Confere aí:

Portal PopNow: Como é a sensação de tocar em um Rock in Rio como esse, homenageando um cara que fez muita diferença no cenário brasileiro?

Panda: Foi uma alegria imensa; primeiro pelo festival, segundo pela banda em que eu estou inserido hoje, tendo a oportunidade de tocar. É incrível porque o Charlie Brown Jr. nunca tinha tido a oportunidade de tocar no Rock in Rio, então foi uma junção de fatores que transformaram esse show em algo tão especial. O público foi outra coisa, também. Foi de uma energia incrível. O pessoal entrou mesmo. Eu sou suspeito pra falar, né, tô chegando agora, tocando com os meus ídolos e representando um cara que, para mim, é intocável. As pessoas perguntam “como é substituir o Chorão?” e eu sempre digo: não é substituir. Ele é insubstituível, é único, um mestre. A gente só tá aqui para manter a história viva.

Portal PopNow: Como veio o convite para você participar dessa homenagem?

Panda: Em 2016, teve o aniversário de uma rádio de São Paulo e estiveram presentes vários vocalistas. Eu tava lá com a minha banda, que é o La Raza. Os caras gostaram do nosso som e tal. A gente manteve o contato e o Marcão me ligou, no final de 2018, para participar de alguns shows. Eu fui, claro. Ninguém tacou tomate, garrafa ou copinho, então eu acho que deu certo. (Risos) Aí fiquei com os caras!

Portal PopNow: Vocês continua a fazer shows com a sua banda? 

Panda: A gente continua! Demos um breakzinho há algum tempo porque a gente tava se apresentando muito, fazendo shows grandes. A gente tocou no aniversário de São Paulo, para 40 mil pessoas, a gente tocou aqui, em Brasília, para um festival de 60 mil pessoas. É muita coisa, a gente precisava de um tempinho. Mas a gente continua. Logo a gente vai lançar música nova. Tem que seguir, né? A gente ama música, não consegue ficar sem fazer.

Portal PopNow: Vocês estão tocando os clássicos do Charlie Brown Jr. Vocês pensam em lançar músicas novas, levando o nome da banda?

Panda: Não, não há nenhuma intenção de lançar material novo. Talvez material inédito do Chorão com o Champignon é uma coisa que a galera da gravadora pensa, mas não há nenhuma intenção de lançar material novo. É como o Bonfá faz com o Legião Urbana: a gente quer manter o legado, fazer shows de homenagem, fazer essa grande festa para o Chorão e para o Champignon.

Portal PopNow: Para você, qual é a música do Charlie Brown Jr. que não pode faltar durante um show?

Panda: Não deixe o mar te engolir. Essa música, pra mim, é muito representativa. É o momento que eu tô vivendo: tem que saber chegar, tem que esperar a sua vez. Eu me dediquei muito, eu trabalhei muito, eu soube esperar… E a vez chegou.

Portal PopNow: Você acha que o rock brasileiro tá morrendo?

Panda: As grandes mídias querem ignorar, mas o rock tá vivo. Tem muita banda boa circulando pelo Brasil. Tem público sim, tem espaço sim. A gente só precisa virar o foco do holofote.

SHOPPING

Newsletter Signup

Juliana Del Rosso
Escrito por

Juliana Del Rosso (Jota) é Cientista Social pela UNIFESP e atualmente está em processo de formação em Artes Cênicas pela UNESP. É atriz, redatora, aspirante a escritora, roteirista e apaixonada por artes, viagens e cachorros. Como sempre gosta de dizer: #mandajobs, sim!

Os 4 posts em destaque

BTS apresenta ‘Stay Gold’, primeiro single de novo álbum

K-Pop

Lives do Dia Lives do Dia

Gigantes do Samba realizam live neste domingo com participação especial de Ana Clara

Lives do Dia

Por um fio: ex-atriz da Globo lança documentário sobre violência com as mulheres

Séries

Anitta. Foto: Divulgação Anitta. Foto: Divulgação

Anitta fala sobre expansão global e anuncia ‘No Me Gusta’ como novo single

PopEntrevista

Anúncio
Newsletter Signup

Copyright © PopNow 2017 - 2020. Todos os Direitos Reservados.

Conecte-se
Newsletter Signup