Halsey. Foto: Reprodução/Instagram (@iamhalsey)
Pop

Halsey deixa legado e passa mensagem positiva ao público LGBT em estreia nos palcos cariocas

Foto: Reprodução/Instagram (@iamhalsey)

Uma das grandes revelações da música norte-americana nos últimos anos, Halsey é um sucesso. Em sua segunda turnê mundial, a cantora estreou nos palcos cariocas. Em sua segunda passagem pelo Brasil – a primeira em 2017, no Lollapalooza, em São Paulo -, a cantora se rendeu aos encantos do público do Rio.

Tove Lo lança “Bitches”, clipe em parceria com Charli XCX

Logo após a sensacional apresentação de Lauren Jauregui, artista escalada para abrir as apresentações da “Hopeless Fountain Kingdom Tour” no Brasil e Argentina, Halsey fez um show simples e cheio de empoderamento, sem deixar de lado o bom gosto e a interação.

A apresentação

Halsey surgiu no topo do palco às 21h30, hora marcada para o início de seu show.  O palco, embora simples, contava com uma grande estrutura de escada e luzes na parte traseira. Atendendo à expectativa, a cantora estava vestindo o mesmo look usado em seu show em São Paulo: calça e top brancos com cristais, que reluziam perante às luzes.

E Halsey é, por si só, um show de voz. Já na primeira faixa, “Eyes Closed“, em que performou em cima da escada, a artista já podia mostrar o que viria nas próximas 1h30 de show.

https://www.instagram.com/p/Bju8WMin6nq/?taken-by=iamhalsey

E ganhando novos arranjos, o sucesso “Hold Me Down” foi a segunda faixa tocada das 19 apresentadas.

E foi em “Castle” que Halsey teve o primeiro grande momento de sua apresentação. Com uma bailarina estrategicamente posicionada no alto da escada, a cantora se jogou na dança mostrando sincronismo e harmonia. Após a música, deixou o palco para sua modesta troca de roupa.

Basicamente, Halsey tirou a calça que estava vestindo e incluiu um cropped e um novo par de sapatos, que deram um tom mais sensual. Enquanto a cantora estava nos bastidores, uma música compassada mostrava, em contato com a evolução das luzes do palco, detalhes interessantes que não vemos com tanta frequência no país. Os leds acendiam de acordo com a batida, em tons alaranjados, e finalizavam com um forte azul.

Mensagem à comunidade LGBT

Após voltar para o palco repaginada, a artista chegou à frente do stage com suas duas mãos para o alto. E foi em “Heaven In Hiding” que Halsey se pôs a favor das causas e direitos de igualdade da população LGBTQ+. E a artista estava solta. Leve, mostrou um posicionamento muito sensitivo e fluido durante a apresentação.

“Strangers”

Se não o momento mais aguardado da noite, uma das parcerias de maior sucesso em 2017 estava prestes a ser apresentada. No palco, duas grandes artistas em ascensão: Lauren & Halsey. E como não podia ser diferente, as estrelas fizeram uma apresentação sensacional do single conjunto.

https://www.instagram.com/p/BjvtODeHnfi/?taken-by=portalpopnow

A empatia foi tanta que uma seguia para um lado do palco enquanto a outra envolvia a outra extremidade e se encontravam no meio no refrão, sob coro dos fãs enfurecidos.

“Façam barulho para Lauren Jauregui” – Halsey.

Com a saída de Lauren do palco, Halsey conversou um pouco com o público carioca, mencionando que era sua primeira vez na cidade.

“Quem de vocês esteve no meu show no Lollapalooza?” – Halsey.

E a apresentação seguiu com “Roman Holiday“, “Walls Could Talk“, “Bad at Love” e “Alone“.

Luzes e emoção

Mas foi em “Closer“, um dos maiores sucessos de Halsey , parceria com o duo de DJs The Chainsmokers, que a artista decolou. Com uma batida diferente em arranjos acústicos, a norte-americana apresentou em uníssono a faixa.

A parceria, lançada em 2016, liderou as paradas de sucesso de diversos países por várias semanas, incluindo o Brasil,  e foi 9 vezes certificada com Platina na Austrália, rendendo nomeação aos músicos no Grammy, na categoria “Best Pop Duo/Group Performance”, e conquistando a estatueta nos Billboard Music Awards do mesmo ano nas categorias “Top Dance/Electronic Song” e “Top Collaboration”.

“Eu amo esse momento. Porque eu faço muitos shows, em diversos países, e quando eu sento e olho pra vocês, nada mais importa. E eu canto e nós sentimos. Não importa as pessoas que nos enchem a porra do saco. Não importa o quanto as pessoas estão chateadas com você. Quando eu to na frente de vocês, quando eu estou aqui, somos só vocês e eu. É o nosso momento. E eu esperei por muito muito tempo!” – Halsey.

E foi quando surgiu com “Sorry“, penúltimo single de seu álbum. A faixa, que ganhou clipe gravado em apenas um take, antecedeu a performance de “Him & I“, do G-Eazy. Não faltaram as faixas “100 Letters“, “Is There Somewhere“, “Colors” e “Young God“.

“Now or Never”

Uma das músicas mais conhecidas da cantora, “Now or Never” foi a 16ª a ser apresentada, e contou com um clima especial. Halsey desceu do palco usando uma escada posicionada na parte frontal e se jogou na plateia, que logo correu tentando se aproximar da cantora.

“Tomem cuidado!” – Halsey.

E, fugindo do óbvio, a artista viu que os fãs que estavam mais próximos ou colados na grade, estavam se machucando. Foi quando pediu para que todos dessem um passo para trás.

Visivelmente satisfeita após ter seu pedido atendido, a cantora continuou a música e voltou ao stage, e pegou o celular de um fã da plateia para fazer uma selfie. Uma fofa!

Encore

Após mais uma troca de roupa, Halsey volta ao palco usando um casaco de moletom com as iniciais da “hopeless fountain kingdom World Tour“, que podia ser comprado na loja da artista, engatando a faixa “Gasoline“.

“Quero ouvir vocês gritando o mais alto que puderem!” – Halsey.

Finalizando sua apresentação que durou cerca de 1h30, Halsey deixou sentimento de satisfação. “Hurricane”, última música do concerto, contou com um toque especial de luzes, fumaça e papeis picados. Se não havia nada de muito novo em relação à apresentação de São Paulo, o carinho e contato afáveis com o público carioca fez superar todas as expectativas.

Halsey , que já contou com participação de Charli XCX e o rapper PARTYNEXTDOOR na etapa norte-americana de sua turnê, e Kehlani na Oceania, se apresenta ainda com Lauren Jauregui em Buenos Aires, na Argentina, neste sábado, 9, seguindo para o Chile e finalizando no México, no dia 15 de junho. Ao todo, foram 41 shows, que renderam cerca de 12 milhões de dólares (47 milhões de reais).

 

Halsey deixa legado e passa mensagem positiva ao público LGBT em estreia nos palcos cariocas
To Top