Masterchef. Foto: Divulgação/Band/Carlos Reinis
Opinião

Rita não merecia sair do MasterChef

Foto: Divulgação/Band/Carlos Reinis

O MasterChef é a maior competição culinária do mundo. Com edições consagradas em diversos países, o formato, no Brasil, adquirido pela Band, marca uma das maiores audiências semanais da emissora – e, particularmente, é o único programa de TV que eu faço questão de acompanhar em tempo real -. Ok, o cast da atual temporada, NA MINHA OPINIÃO, não foi dos melhores. Cozinheiros como Angélica, que teve destaques negativos em toda sua trajetória, enfraquecem o televisivo. Mas vamos ao ponto: estamos aqui para falar da eliminação da Rita.


Aos 51 anos e uma cirurgiã-dentista bem-sucedida, a catarinense iniciou no programa de forma marota. Com muita classe, é lindo ver Rita cozinhar. A disciplina com que ela faz as atividades – e, devo dizer, a agilidade -, mostram uma paixão enorme pela gastronomia. E foi exatamente o que a participante mostrou ao longo de quase três meses de competição.

O acontecido

Rita não merecia ter saído nesta terça-feira, 26. E a prova maior foi o pesar com que a eliminação foi anunciada pelos renomados chefs e jurados do programa, Paola Carosella, André Fogaça e Erick Jacquin. Há tempos não se via participante com tanta auto-determinação, como Rita.

 

Masterchef. Foto: Divulgação/Band/Carlos Reinis

Masterchef. Foto: Divulgação/Band/Carlos Reinis

Tudo começou quando, após uma prova preliminar, Thiago, o Major, escolheu Eliane para subir ao mezanino. Até aí, ok! Mas para uma pessoa que defende a meritocracia (motivo pelo qual optou por “subir” Eliane), o carioca parece ter se esquecido de todas ajudas que Rita lhe deu ao longo da competição – E QUE FEZ COM TODO MUNDO. O fato era que eles tinham que cozinhar caixas misteriosas elaboradas por antigos participantes da edição Profissionais. Rita pegou a caixa do Ravi, inspirada na comida mediterrânea e asiática. Ela não foi a melhor, mas ficou à frente da Lili, segundo os jurados.

Já na segunda prova, onde Kathleen e Vitor Hugo não disputaram – os piores da primeira prova foram postos direto à eliminação -, os cozinheiros tinham de fazer um filé mignon ao molho de chocolate (o que deve ser uma delícia apreciada por poucos). Nesta prova, Rita novamente foi um destaque positivo, mas “perdendo” pela Maria Antônia, integrante que vem tendo um desempenho muito aquém de todos os outros participantes do programa.

Já na eliminação, os restantes deveriam fazer uma receita típica francesa, que tem uma história muito bonita – e que eu não vou contar porque já esqueci – onde se derrete o chocolate e adiciona frutas secas, nozes, castanhas, e essas coisas de chocolate. Além de lindo fica gostoso – dizem eles -.

Masterchef. Foto: Divulgação/Band/Carlos Reinis

Masterchef. Foto: Divulgação/Band/Carlos Reinis

Rita não estava com cabeça nessa prova. Se atrasou e fez merda. Ok, cabível. Ficou entre as piores ao lado de Evandro, o Padre, que se não tinha Deus ao seu lado, estava com anjinhos muito bem-posicionados. Rita saiu!

Se formos levar em consideração toda a trajetória de Rita como competidora, amiga, influencer e, no episódio, em suas duas provas preliminares, deveria ter saído quem foi melhor. Ok, Kathleen, que foi pior na primeiras prova, venceu a última. Na cozinha, um erro muda tudo. O desempenho de Rita foi péssimo, eu sei, mas custa levar em consideração, ao menos, todo o episódio?

Todos imaginavam uma final com Rita. Fosse um cenário contra o Thiago, ou talvez com seu pupilo Hugo, Rita norteava as principais apostas para a final do programa desde a saída de Carlos, que desistiu do MasterChef devido um problema de família.

Byiiiiing!

 

Rita não merecia sair do MasterChef
To Top