Bianca Gismonti Trio. Foto: Divulgacão/Daryan Dornelles
Brasil

Rio Montreux Jazz Festival divulga novas atrações brasileiras

Foto: Divulgação

A música brasileira terá forte destaque na programação do Rio Montreux Jazz Festival, um dos maiores festivais de jazz do mundo e que pela primeira vez acontece no Brasil. Na programação, músicos de diferentes regiões e formações, incluindo alguns nomes que já são destaque no cenário internacional. O evento confirma mais quatro atrações nacionais, que estarão no Palco Pixinguinha, em apresentações gratuitas no Parque Madureira: Orquestra de Câmara da Rocinha, com crianças e jovens da favelada Rocinha sob a regência do maestro Rodrigo Belchior; Fernando Vidal Trio, liderado pelo guitarrista, compositor e produtor musical Fernando Vidal; Face Musical Quinteto, que tem em seu repertório o choro e ritmos brasileiros; e os jovens instrumentistas da Toca de Tatu, com um importante trabalho de valorização da música brasileira.

“Quando pensamos no Rio Montreux Jazz Festival, decidimos seguir as tradições do Festival na Suíça, trazendo toda a essência e o conceito de lá para cá. Assim como na Suíça, onde cada sala tem o nome de um artista que foi importante na história da música mundial, aqui no Brasil, escolhi quatro artistas que representaram uma geração e difundiram a nossa música do Brasil para o mundo. O Palco Tom Jobim é uma homenagem aos 25 anos sem o nosso maestro. O Palco Ary Barroso é uma homenagem pelos 80 anos da composição de “Aquarela Brasileira”. O Palco Pixinguinha, uma justa homenagem ao choro. E o Palco Villa-Lobos, marcando um dos grandes compositores eruditos que o Brasil já teve” – Marco Mazzola, diretor artístico do Rio Montreux Jazz Festival.

PUBLICIDADE

A acessibilidade também dará o tom do festival. Além do Palco Pixinguinha, o evento terá mais quatro palcos – Montreux Urbanos – em diferentes regiões da cidade e com atrações gratuitas.

Sobre as atrações do Palco Pixinguinha:

Dia 6 de junho – quinta-feira

  • Toca de Tatu
Toca do Tatu. Foto: Divulgação/Fabiano Campbell
Toca do Tatu. Foto: Divulgação/Fabiano Campbell

O grupo é uma união de jovens instrumentistas de Belo Horizonte que têm como proposta construir um trabalho de redescoberta e valorização da música brasileira. Formado por Abel Borges (percussão), Lucas Ladeia (cavaquinho), Lucas Telles (violão 7 cordas) e Luísa Mitre (piano), o Toca de Tatu tem o Choro como referência primária, e já se apresentou em importantes projetos como Clube de Choro UK (Londres – Inglaterra), Escola Portátil de Música da Holanda (Rotterdam – Holanda), Maison de L`Amérique Latine (Paris – França), Maison du Brésil, no X Festival e Encontro Internacional De Choro De Paris promovido pelo Club du Choro de Paris (Paris – França), e no Conservatório de Antony (Antony-França), no Rencontres Internationales de la guitare (Festival Internacional de Violão 2015).

  • Marcelo Caldi convida Gabriel Grossi: Homenagem a Luiz Gonzaga
Marcelo Caldi. Foto: Divulgação/Leo Aversa
Marcelo Caldi. Foto: Divulgação/Leo Aversa

Instrumentista, compositor e arranjador sinfônico, Marcelo Caldi é conhecido por aproximar o tango argentino do forró brasileiro. É autor do livro “Tem sanfona no choro”, que inclui CD homônimo, lançado pelo Instituto Moreira Salles em parceria com a Funarte (Prêmio Centenário de Luiz Gonzaga), em que resgata as partituras de choros da primeira fase do rei do baião.

Compôs arranjos sinfônicos cantados por Elba Ramalho e interpretados pelas Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica de Barra Mansa e de Recife, em homenagem a Luiz Gonzaga. Com o show Marcelo Caldi Trio, excursionou pelo Brasil e Portugal.

No show, Marcelo estará ao lado de Gabriel Grossi na gaita, Rogério Caetano no violão de sete cordas e Fábio Luna na bateria e flauta.

Dia 7 de junho – sexta-feira

  • Orquestra de Câmara da Rocinha
Orquestra de Câmara da Rocinha. Foto: Divulgação/Igor Siqueira
Orquestra de Câmara da Rocinha. Foto: Divulgação/Igor Siqueira

A Escola de Música da Rocinha completa 25 anos em 2019. Desde 1994 garante a crianças e jovens da favela da Rocinha o acesso gratuito ao estudo da música através da oferta de cursos de diversos instrumentos e canto coral. Sob regência do maestro e professor de música Rodrigo Belchior, seu núcleo principal conta com aproximadamente 25 alunos, destacando a música popular brasileira em arranjos compostos especialmente para a formação.

  • Bianca Gismonti Trio convida Frank Colón: Homenagem a Egberto Gismonti 
Bianca Gismonti Trio. Foto: Divulgacão/Daryan Dornelles
Bianca Gismonti Trio. Foto: Divulgacão/Daryan Dornelles

A pianista e compositora Bianca Gismonti iniciou sua carreira aos 15 anos, acompanhando seu pai, Egberto Gismonti, em palcos pelo mundo. No último ano, realizou turnê pela Europa, China e Japão e gravou o quarto disco do Trio Gismonti 70, com repertório completo de Egberto Gismonti, homenageando os seus 70 anos. O disco será lançado no Brasil, Europa e Japão no segundo semestre desse ano. Bianca se apresenta ao lado de Antônio Porto (Baixo), Júlio Falavigna (Bateria) e Frank Cólon (Percussão).

Dia 8 de junho – sábado

  • Fernando Vidal Trio

O guitarrista, compositor e produtor musical já participou de importantes festivais como Rock in Rio, SummerFest (Alemanha), e Montreux Jazz Festival. Dentre os vários artistas com quem gravou, destaques para Gabriel o Pensador, Lenine, Luiz Melodia, Fat Family, Guilherme Arantes, Elba Ramalho, Gilberto Gil, Cassiano, Daniela Mercury e Paula Toller, além de atuar em shows com Lulu Santos e Herbert Vianna. Atualmente integra a banda do Seu Jorge, além de fazer shows com o Fernando Vidal Trio.

  • André Vasconcellos Quinteto 
Andre Vasconcellos. Foto: Divulgação/Alice Venturi
Andre Vasconcellos. Foto: Divulgação/Alice Venturi

Uma das referências do contrabaixo brasileiro, já tocou e gravou com grandes nomes da música brasileira e internacional, participando de festivais e turnês pelo mundo. Seu último álbum recebeu o prêmio IMA (Independent Music Awards) pela música “Samba da Esquina”, na categoria Jazz Instrumental Song. Em seu currículo, gravações e turnês ao lado de artistas como Milton Nascimento, Djavan e Gilberto Gil.

Formado por André Vasconcellos no contrabaixo, Eduardo Farias no Piano, Rafael Barata na Bateria, Josue Lopez no Sax e Rafael Rocha no Trombone.

Dia 9 de junho – domingo

  • Face Musical Quarteto 
Face Musical Quarteto. Foto: Divulgação/Carlos Angeleas
Face Musical Quarteto. Foto: Divulgação/Carlos Angeleas

Quarteto de Brasília formado pelos músicos Victor Angeleas (bandolim de dez cordas), Márcio Marinho (cavaquinho de seis cordas), Larissa Umaytá (pandeiro) e pelo baixista goiano Bruno Rejan; o grupo surgiu após participarem juntos do Programa Face Musical, que é transmitido Ao Vivo pelo Facebook, Instagram e Youtube. O quarteto circula com apresentação musical e Oficina de Choro e Ritmos Brasileiros. Às vezes integram as duas atividades e chamam de workshow, onde se apresentam e conversam com a plateia explicando a dinâmica e particularidades de cada música.

  • Dani Spielmann e Orquestra Gafieirando convidam Bebê Kramer: Homenagem a Paulo Moura 

A carioca Daniela Spielmann é integrante do grupo de choro Rabo de Lagartixa, do trio feminino Mulheres em Pixinguinha, e do grupo instrumental Sincronia Carioca. Com carreira solo, já foi indicada ao Grammy Latino. É marcada pelo choro, o frevo, o maracatu, o samba, a bossa nova e o jazz. Integrou a Rio Jazz Orchestra por dois anos, onde teve grande destaque como solista. Fez turnês internacionais pela Europa com o grupo Trio Madeira Brasil, e outra pela América do Sul com o seu grupo Rabo de Lagartixa. É fundadora da Orquestra Gafieirando a partir de sua tese de doutorado, que tem o propósito de tocar para as pessoas dançarem.

Formada por Daniela Spielmann, no saxofone, e o trompetista virtuose Silvério Pontes, a Gafieirando tem ainda, Alexandre Maionese na flauta, Domingos Teixeira no violino, Rodrigo Villa no baixo e Xande Figueiredo na bateria. No show terá ainda a participação de Bebê Kramer, no Acordeon. Eles farão uma homenagem ao Paulo Moura.

Programação Rio Montreux Jazz Festival 2019 

Pier Mauá

Palco Tom Jobim – capacidade de 773 pessoas sentadas (Armazém 2)

Palco Villa-Lobos – capacidade de 3.500 pessoas em pé (Armazém 3)

Palco Ary Barroso – localizado na varanda do Pier

Demais regiões – Palcos gratuitos

Palco Pixinguinha – localizado no Parque Madureira

Palcos Montreux Urbano – em quatro diferentes pontos da cidade

Programação geral 

6 de junho – quinta-feira

Palco ARY BARROSO

18h30 – Amaro Freitas

21h – Diego Figueiredo

Palco TOM JOBIM

19h30 – Quarteto Jobim e Maria Rita – “Chega de saudade: 25 anos sem Tom Jobim”

22h – Al Di Meola Opus 2019 & More

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Steve Vai

Palco PIXINGUINHA 

18h -Toca do Tatu

19h -Marcelo Caldi convida Gabriel Grossi – Homenagem a Luiz Gonzaga

7 de junho – sexta-feira

Palco ARY BARROSO

18h30 – Choro na Rua

21h – Pedro Martins Trio

Palco TOM JOBIM

19h30 – Yamandu Costa. Participação especial: Camerata Jovem do Rio de Janeiro

22h – The Stanley Clarke Band

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Frejat convida Pitty e Zeca Baleiro

Palco PIXINGUINHA 

18h – Orquestra de Câmara da Rocinha

19h -Bianca Gismonti Trio convida Frank Colón – Homenagem a Egberto Gismonti

8 de junho – sábado

Palco ARY BARROSO

18h30 – Ricardo Herz Trio

21h – Andreas Kisser e convidados apresentam: Instrumental Acoustic Metal

Palco TOM JOBIM

19h30 – Hamilton de Holanda Quarteto convida Paulinho da Costa

22h – Hermeto Pascoal

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Corinne Bailey Rae

Palco PIXINGUINHA 

18h – Fernando Vidal Trio

19h -André Vasconcellos Quinteto

9 de junho – domingo

Palco ARY BARROSO

16h30 – Allyrio Mello

19h – A Guitarra e o Tambor – Davi Moraes, Jr. Tolstoi e Pedro Baby

Palco TOM JOBIM

17h30 – Carlos Malta e Pife Muderno

20h – John Scofield Combo 66

Palco VILLA-LOBOS

21h30 – Brasil Cuba: Ivan Lins, Chucho Valdés e Irakere

Palco PIXINGUINHA 

18h – Face Musical Quarteto

19h- Dani Spielmann e orquestra Gafieirando convidam Bebê Kramer – Homenagem a Paulo Moura

Sobre a venda de ingressos

Local: Píer Mauá – Armazéns 2 e 3

Capacidade: 

Palco Tom Jobim – capacidade 773 pessoas sentadas (Armazém 2)

Palco Villa-Lobos – capacidade 3.500 pessoas em pé (Armazém 3)

Palco Ary Barroso – disponibilidade de 1.000 ingressos (Varanda do Pier Mauá). O ingresso dá direito aos dois shows por noite que acontecerão neste espaço.

Duração de cada show: Aproximadamente 1h15min

Ingressos: A partir de R$ 25,00 (ver tabela)

Classificação etária: 16 anos. Menores de 16 anos somente acompanhados dos pais ou responsáveis legais.

Abertura do Pier Mauá: 18h

Abertura dos armazéns: 30 minutos antes do início do show

Acesso para deficientes: sim

Venda de ingressos no site: http://riomontreuxjazzfestival.uhuu.com

Venda a grupos: negocios@uhuu.com

INGRESSOS:

PALCOINTEIRA½ ENTRADAVALE CULTURAMEIA VALE CULTURA
Villa-LobosR$ 187,00R$ 93,50R$ 50,00R$ 25,00
Tom JobimR$ 187,00R$ 93,50R$ 50,00R$ 25,00
Ary BarrosoR$ 100,00R$ 50,00R$ 50,00R$ 25,00

Palco Tom Jobim – Píer Mauá (Armazém 2) 

Encontros exclusivos criados especialmente para o Festival. Nesse palco mais intimista, com plateia sentada, acontecem dois shows por dia (19h30 e 22h), com ingressos que devem ser comprados separadamente.

Ingressos comprados para esse palco garantem acesso ao Espaço Village e aos 2 shows diários do Palco Ary Barroso.

Palco Villa-Lobos – Píer Mauá (Armazém 3)

Jazz, Rock, R&B e música latina com artistas internacionalmente famosos por seu virtuosismo e mistura de influências. Um show por dia, sempre às 23h30, com plateia em pé. Ingressos comprados para esse palco garantem acesso ao Espaço Village e aos 2 shows diários do Palco Ary Barroso.

Palco Ary Barroso – Espaço Village

Os shows do Palco Ary Barroso acontecem na varanda do Pier Mauá, com vista para a Baía de Guanabara, e contam com a novíssima geração de artistas do Jazz e da música instrumental, além de espetáculos criados especialmente para esse local. São dois shows por dia (18h30 e 21h). Essa área de convivência terá também food trucks gourmets (consumação não inclusa no ingresso).

Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet).

Parcelamento em até 3 vezes sem juros em todos os cartões de crédito.

Todas as condições acima poderão ser alteradas sem aviso prévio.

PONTO DE VENDA – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA

Bilheteria do Città América

Av. das Américas, 700 –Térreo – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro

Horário de atendimento: Segunda a Sábado das 11h às 19h.

Domingos e Feriados: Fechado. 

FORMAS DE PAGAMENTO

Internet: 
Cartões de crédito: Mastercard, Visa, Amex, Elo, Hipercard

Bilheteria e Pontos de Venda:

Dinheiro, Cartões de crédito e débito, Vale Cultura Ticket

Sobre o Montreux Jazz Festival 

Criado em 1967, o Festival acontece na cidade suíça de Montreux, com 25 mil habitantes, vista para os Alpes e às margens do lago Leman. Por ano, recebe cerca de 250 mil pessoas para acompanhar os shows e programações culturais que acontecem durante as duas semanas de festa.

Nos seus mais de 50 anos de história, o Montreux Jazz Festival se diversificou e passou a incorporar novos ritmos, gêneros e linguagens artísticas. Em seus palcos se apresentaram grandes nomes da música mundial como: Nina Simone, Ray Charles, Miles Davis, Adele, Stevie Wonder, Prince, Pharrell Williams, David Bowie, Phil Collins, entre outros.

Em 1978, aconteceu a primeira participação de artistas brasileiros no Montreux Jazz Festivalgraças ao incentivo do produtor musical Marco Mazzola, que intermediou essa aproximação com Claude Nobs, idealizador do Festival. O primeiro nome da música nacional a se apresentar em Montreux foi Gilberto Gil, que tocou em uma noite brasileira, que ainda teve nomes como a banda A Cor do Som e Silvinho. Desde então, a participação de ícones da música brasileira no Festival se tornou constante. O público assistiu shows memoráveis de Elis Regina, Hermeto Pascoal, Chico Buarque, Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Gal Costa e outros nomes da música nacional. 

Rio Montreux Jazz Festival divulga novas atrações brasileiras
To Top