Ferrugem. Foto: Divulgação
PopEntrevista

PopEntrevista: Ferrugem fala sobre parceria com Thiaguinho, carreira e infância no Rio

Foto: Divulgação

*Entrevista: Julie Machado

*Edição: Daniel Outlander

Um dos sinônimos de Pagode atualmente, Ferrugem é muito mais do que se espera. Dono de uma voz única e com grande presença de palco, o artista, que nasceu no Rio de Janeiro, tem uma grande relação com a cidade. Apresentando nacionalmente sua turnê “Prazer, eu sou Ferrugem“, que lhe rendeu o primeiro DVD da carreira, o cantor está cada vez mais no eixo dos mais importantes de todo o país.

Pouco antes de sua apresentação no Rio de Janeiro, onde lotou o KM de Vantagens Hall em um show especial cheio de convidados, o cantor bateu um papo com o PopNow.

Durante a entrevista, Ferrugem deixou claro que suas raízes de Campo Grande, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro, o fizeram ser uma pessoa completamente “pé no chão”.  Sonhador na medida certa, é fato que o jovem se consolidará, cada vez mais, em sua carreira.

Confira a entrevista:

PopNow: Você está conhecido em todo o Brasil. Você já chegou aonde queria chegar ou falta mais alguma coisa?

Ferrugem: Se acontecer com certeza eu vou ficar muito feliz, mas se continuar do jeito que tá, tá ótimo! Às vezes a gente tem que pensar naquela frase “se melhorar estraga”, né? Eu muito feliz com o que tem acontecido na minha carreira e se continuar dessa maneira já maravilhoso,  feliz pra caramba.

PopNow: E como você se sentiu sabendo que foi um dos cantores mais ouvidos do Carnaval com a música “Pirata e Tesouro”?

Ferrugem: Fiquei assustado porque é uma música romântica, né!? Tocar no Carnaval como ela tocou foi uma surpresa muito grande pra gente, e mostrou que música boa não tem segmento. Não tem andamento. Não é rápida e nem lenta, não precisa mudar o assunto, ela apenas é boa. E tem dois tipos de música: a boa e a ruim. E a gente têm feito música boa com muito carinho e muito coração, e a gente têm conquistado o coração da galera com isso.

PopNow: Você gravou recentemente seu primeiro DVD “Prazer, eu sou Ferrugem” no Barra Music. Você participou de todo o processo de gravação?

Ferrugem: Participei de tudo como sempre participei. E assim, a concepção do cenário foi uma criação minha de maluco. Eu peguei a referência de um artista, com a referência de outro e de mais um terceiro artista, mandei pros caras e falei “cara, junta aí que eu quero isso tudo no palco sem ficar muito sujo”. E aí eles tornaram esse meu sonho uma realidade muito bonita.

PopNow: Qual é a sensação de pisar no palco e dar de cara com uma multidão te apoiando e cantando todas as suas músicas com você?

Ferrugem: Toda vez eu me pergunto “caraca, isso aí é pra mim mesmo? Isso tudo sou eu?”. Porque, na verdade ,eu sempre cantei. Sempre gostei de cantar. Cantava na escola, cantava em barzinho pra tirar uma onda com a galera, mas eu nunca imaginei. Não é clichê não! Eu nunca imaginei na minha vida que isso ia acontecer com meu trabalho e com minhas músicas e que meu sonho fosse se tornar uma realidade muito maior do que eu esperava. Então fica sempre aquela coisa de gratidão a Deus, gratidão ao público que sempre acreditou no meu trabalho, gratidão a todos aqueles  que desacreditaram no meu trabalho também, que só me incentivaram a correr atrás pra eu provar que era de verdade.

PopNow: Você convidou grandes nomes para participar do seu DVD como Ludmilla, Nego do Borel, Thiaguinho, seu grande ídolo Péricles. Como foi o convite e como cantar com todos eles?

Ferrugem: Cantar com todos eles foi uma emoção muito grande, ver que a galera topou dividindo desse momento comigo, uma realização minha, e eles conseguiram mostrar que era uma realização de todos eles também, isso me emocionou muito. Cantei com Péricles e me emocionei muito! Com todos eles eu senti algo diferente. Mas eu confesso que o que eu não esperava aconteceu. Eu fui cantar com o Thiaguinho, que é um cantor alegre, eu imaginei que a gente ia curtir ali o momento é já foi. Mas foi o cara que eu mais me emocionei: ele entrou com uma energia diferente, sabe!? E eu sempre falo com ele quando a gente assistindo e se encontrando “pô cara, olha o que a gente fez!”, a gente conseguiu registrar um momento de emoção muito grande e assim foi com todos, e eu tenho uma gratidão enorme por todos eles.

PopNow: Você já tem planos para depois do DVD? Pode contar pra gente?

Ferrugem: Ah, tem muita coisa, a minha cabeça é um computador ligado 24h por dia. Eu não paro de trabalhar, não paro de pensar em trabalho. Eu gosto de outros sons também, de ouros segmentos, já tenho gravado algumas coisas com outros artistas, mas eu pretendo dar uma segurada no samba, as coisas estão começando a acontecer agora. Mas, mais pra frente a gente vai começar a pensar uma coisinha diferente aqui, uma pitadinha de outra coisa no meu trabalho porque vale a pena testar.

PopNow: Como você está lidando com toda essa fama?

Ferrugem: Cara, é muito engraçado. Tem lugares onde dava pra ir e agora não da mais. Não por mal, mas a gente acaba até tirando o divertimento de certas pessoas, porque fica muita gente, né? Então a gente se priva de algumas coisas em prol de um trabalho bacana, em prol de subir no palco e receber o carinho da galera, e eles ficam alvoroçados! Querem te ver, querem ver o artista, e isso acontece também na rua, só que na rua fica mais complicado a gente atender todo mundo. Mas é muito gostoso, é uma responsabilidade boa. Eu costumo dizer que eu adquiri uma responsabilidade boa de cuidar do coração das pessoas, você se torna responsável por eles, mas eu sou muito feliz por conta disso é só agradeço a Deus por ter me dado tanta gente pra que eu cuidasse dos corações.

PopNow: E você visita sempre os amigos de Campo Grande?

Ferrugem: Direto! Ontem 9na sexta-feira, 18) eu tava lá no dentista, almocei no restaurante de um amigo. A gente sempre se vê! Eu costumo ir no bairro onde eu fui nascido e criado, reencontro a galera, quando não, a gente tá sempre se falando no grupo de WhatsApp. Eu não consigo me desvencilhar do lugar que me projetou porque tudo começou lá.

PopEntrevista: Ferrugem fala sobre parceria com Thiaguinho, carreira e infância no Rio
To Top