Rock

Foo Fighters resgata Rock e proporciona noite apoteótica no Maracanã

Foto: Divulgação/Marcos Hermes

Gritos, nostalgia, rodas punk e devoção ao bom e velho Rock ‘n Roll: estes foram os ingredientes da noite deste domingo, 25, onde os cariocas puderam conferir de perto a primeira apresentação do Foo Fighters em retorno ao país. O palco não podia ser melhor. Um dos maiores e mais importantes estádios de futebol do Mundo, o Maracanã ficou pequeno diante tamanho e maestria de Dave Grohl, fundador do Nirvana ao lado de Kurt CobainPat Smear.

Leia também: Show de Ozzy Osbourne no Rio muda de local



Na estrada desde 1995, o Foo Fighters sabe o que é dominar um palco. O Maracanã estava lotado, ávido, ansioso para a primeira apresentação da turnê do álbum “Concrete and Gold“, lançado em 2017. Uma legião de fãs queria conferir de perto a passagem dos norte-americanos. E quase que com pontualidade britânica, a banda liderada por Grohl subiu ao palco após a passagem dos paulistas da Ego Kill Talent e os compatriotas do Queens of The Stone Age.

O Show

Foo Fighters. Foto: Divulgação/ Marcos Hermes

Dave Grohl é a personificação de lenda do Rock. O artista em si, não precisa fazer nada para ser ovacionado por seus súditos. E o astro se apossa deste destemido status. Às 21h30, Dave Grohl (vocal e guitarra), Nate Mendel (baixo), Taylor Hawkins (bateria), Chris Shiflett (guitarra), Pat Smear (guitarra), Rami Jaffee (teclados) subiram ao palco para delírio dos cerca de 30 mil fãs que os aguardavam calorosamente. O clima, na realidade, não era de um show apenas, mas de um tributo ao bom e velho Rock n’ Roll. Animado e visivelmente carismático, Grohl e sua banda personificaram as lendas do Rock.

O show contou com mais de duas horas e meia de duração e teve 21 músicas na setlist. “Run“, do recém-lançado “Concrete and Gold“, foi a faixa escolhida para a abertura da apresentação, seguida de “All My Life“, do álbum “One by One“, lançado em 2002 e “Learn to Fly“, sucesso do aclamado “There Is Nothing Left to Lose“, de 1999 e “The Pretender“, mas foi antes de “The Sky Is a Neighborhood“, quinta faixa do show, que Grohl começou a “mostrar as asas”. O artista parou no palco fitando todos os presentes em sinal de aclamação mútua.

“Que fique claro: isso aqui é um show de Rock, ok? E vocês gostam de Rock, não é? Gostam muito, certo?” – Dave Grohl.

A apresentação continuou outros grandes clássicos do Foo Fighters como “Rope“, “Sunday Rain“. Em “My Hero“, clássica faixa do álbum “The Colour and the Shape“, de 1997, Dave provocou os fãs dizendo que o barulho que eles estavam fazendo não eram bom o suficiente. Mas nem o cansaço de dois grandes shows que antecederam a apresentação do Foo Fighters fez deixar de lado a interação do público, que respondeu de forma ensurdecedora a provocação do “rei”. “These Days“, “Walk“, “Breakout” e “Make It Right” também marcaram presença no show.

Covers

Foo Fighters. Foto: Divulgação/ Marcos Hermes

Grohl e sua trupe também mostraram suas versões para clássicos consagrados por outros artistas, como o sucesso “Under My Wheels“, de Alice Cooper. A faixa foi a primeira do segundo setor do show, “Band Presentation“, onde Dave interage mais com a banda, que passa a ter mais relevância na execução das músicas.

Em seguida, Dave apresentou sua banda. Aos solos de cada instrumento, o Foo Fighters apresentou versão com um medley das faixas “Another One Bites the Dust“, do Queen, “Blitzkrieg Bop“, dos Ramones, e o sucesso “Love of My Life“, eternizado na voz de Freddie Mercury, um dos momentos mais emocionantes do show. Neste momento o frontman fez uma brincadeira com o fãs personificando o líder do Queen durante o primeiro Rock in Rio.

“Eu acho que aqui é o Rock in Rio” – Dave Grohl

O show seguiu com versões de “Under Pressure“, parceria entre David Bowie e o Queen e “Monkey Wrench“, “Times Like These“, e “Best of You“, da própria banda.

Após 10 minutos fora do palco, a banda liderada por Dave voltou ao palco para mais três músicas, dentre elas, “Let There Be Rock“, cover do AC/DC.

Rodas Punk

Foo Fighters. Foto: Divulgação/ Marcos Hermes

Como todo bom e velho show de Rock, as rodas punk marcaram presença em boa parte do show do Foo Fighters no Rio de Janeiro.

Esta foi a resposta que os fãs do Foo Fighters encontraram de mostrar para os norte-americanos porquê o Brasil é conhecido como um dos lugares mais acolhedores e com o público mais caloroso. No final do show, Dave parecia não querer deixar o palco. Ao todo, a apresentação contou com quase 2h30 de duração.

Próximos shows

O Foo Fighters ainda tem mais quatro shows: 27 e 28 de fevereiro, em São Paulo; 2 de março, em Curitiba; e 4 de março na capital do Rio Grande do Sul. Os ingressos para os shows ainda estão à venda. Para comprar, clique aqui.

Veja a galeria de fotos do show:

Foo Fighters resgata Rock e proporciona noite apoteótica no Maracanã
To Top