Rock in Rio

Falhas técnicas atrapalham show de Fergie; Pabllo Vittar rouba a cena

O Brasil desfrutou novamente das graças de Fergie. Sete anos após sua última estada no Brasil quando esteve ao lado o Black Eyed Peas, a cantora foi a penúltima artista a se apresentar no Palco Mundo do Rock in Rio. Prestes a lançar seu novo álbum, Fergie apresentou algumas das novas músicas e percorreu o passado com clássicos como “Fergalicious”, de seu álbum homônimo.

A apresentação, que começou um tanto quanto “morna”, foi ganhando voz a medida que ia acontecendo, mas os grandes destaques foram bastante polarizados entre positivos e negativos.

Fergie. Foto: Divulgação/Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

Fergie é uma artista, e apesar de parecer à vontade em seu retorno ao país, algumas coisas no show não saíram como o planejado. a apresentação da loira foi seriamente prejudicada por diversar falhas nos microfones e no retorno da cantora e, apesar das tentativas, toda a performance foi marcada pelos acontecimentos, que deixaram a norte-americana visivemente abalada.

No repertório, grandes clássicos não ficaram de fora. “Hungry” e “Fergalicious” foram as primeiras das quase 30 músicas que a loira apresentou no palco – a maioria medleys -. Versões de clássicos do “Black Eyed Peas” também integraram a apresentação.

Fergie. Foto: Divulgação/Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

Pabllo Vittar rouba a cena

Pabllo Vittar está com tudo neste Rock in Rio. A brasileira, que se apresentou em um palco secundário no primeiro dia do evento, apareceu de surpresa como convidada em um featuring com a estrela norte-americana e acabou roubando a cena. Ela, que foi a primeira drag queen a se apresentar no palco principal do evento, mostrou que pode, sim, ser uma grande artista.

Ao lado de Fergie, Pabllo apresentou duas músicas, sendo uma delas uma versão de “Sua Cara“, parceria com o Major Lazer e Anitta. A carioca, porém, não esteve presente.

Em entrevista após o show de Fergie, Pabllo disse que a participação já estava confirmada e que partiu da própria produção de Fergie. “Nós fizemos um ensaio antes de ontem”, relatou a maranhense.

Fergie. Foto: Divulgação/Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

“Mais que Nada”

Outro grande momento da performance foi quando Fergie chamou ao palco Sérgio Mendes, artista por trás de “Mais que Nada”, música brasileira de maior prestígio e fama internacional, que foi gravada em parceria com Fergie. Arriscando um português, a loira mostrou interação com o artista.

Fergie. Foto: Yoshioka/I Hate Flash

Muito carão

Fergie é um sucesso! Mas se nos palcos a expectativa é alta, a apresentação teve um “quê” a desejar. Ok, o som estava bem ruim, mas o uso de bases gravadas – que pareceram playbacks em alguns momentos – deixaram a performance fria. Ela até que tentou compensar com interação e diversas conversas com o público, mas o resultado ficou bastante “aquém” da expectativa.

Canta e dançar ao mesmo tempo realmente não é para todos, e para Fergie não é uma exceção, que acabou apenas apresentando os refrões de suas principais músicas e diversos medleys com trechos de hits do Black Eyed Peas como “Pump It” e “I Gotta Feeling”

No palco, também dividia espaço com um artista que dava suporte de voz e que, em diversos momentos, assumiu a voz enquanto a artista mudava de roupa.

Cola aqui na #Setlist da @Fergie!

A post shared by PopNow (@portalpopnow) on

 

Falhas técnicas atrapalham show de Fergie; Pabllo Vittar rouba a cena
To Top