Brasil

Em show melódico, John Mayer recheia plateia com clássicos e se desculpa por demora no retorno ao país

Reprodução/Instagram

Longe dos palcos brasileiros desde sua participação no Rock in Rio 2013, John Mayer encerrou a etapa tupiniquim da  “Search for Everything World Tour”. Após passar por São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, foi a vez dos cariocas receberem, nesta sexta-feira, 27, o músico. No Rio, o norte-americano envolveu seus súditos com o maior show da turnê no Brasil.

Vencedor de 7 GRAMMY Awards®, essa é a primeira turnê solo de Mayer desde 2014, que contou com apresentações de canções solo acústicas, com o John Mayer Trio e com a banda completa.

John Mayer. Foto: Reprodução/Instagram

O show

As apresentações “Search for Everything World Tour” astro seguem estágios. São 4 capítulos que dividem a apresentação, dando um tom ultra especial. No Rio, o norte-americano subiu ao palco por volta das 23h. Ao lado de sua banda composta de 7 músicos, Mayer fez um show pra lá e descontraído – sem respeitar a setlist do show -. No telão uma imagem anunciava: “Chapter 1 – Full Band” (Capítulo 1 – Banda Completa, em tradução literal). O start estava dado.

Sob gritos e aplausos, Mayer subiu ao palco já entoando seu primeiro sucesso, “Helpless”, que contou com palmas compassadas por parte do público que aguardava com ansiedade o início da apresentação. À vontade no palco, o performer prova a todos no palco o porquê os fãs aguardaram tanto seu retorno ao Brasil.

“I love you”, disse John ao final de “Helpless”

A apresentação seguiu com um medley de “Why Georgia/No Such Thing“, e “Love On The Weekend“. No palco, John  se destaca. Entre dedilhadas em seu violão junto à sua aveludada voz, o norte-americano apresenta um grande espetáculo. Com luzes primordialmente nas cores rosa e azul, dando um tom intimista ao show.

No palco, John comanda. Vestindo uma t-shirt azul, com alça preta e jaqueta jeans, o performer envolveu a plateia lotada sem respeitar a setlist divulgada anteriormente, que contou com sua real vontade de cantar.

Acústico

Os clássicos eternizados pela voz do cantor também abrem espaços para novas versões entoadas originalmente por outros artistas. Durante o “Chapter 2 – Acoustic” (Capítulo 2 – Acústico), John Mayer dá adeus a sua banda deixando o ambiente mais otimista de total controle no palco. No comando de seu violão, o cantor soltou a voz com seu sucesso “Daughters“, além de performar “Love is a Verb” pela primeira vez desde 2014 e “Split Screen Sadness“, que não compunha uma setlist do astro desde 2007.

John Mayer. Foto: Reprodução/Instagram

No segundo estágio do show, “In Your Atmosphere“, do álbum “Where the Light Is: John Mayer Live in Los Angeles“, lançado em 2008, foi a responsável por dar fim ao momento acústico da apresentação. 

Trio

Ao lado do baterista Steve Jordan e o baixista Pino Palladino, John Mayer apresentou um dos momentos mais memoráveis de todo o show. O John Mayer Trio, banda blues-rock formado em Los Angeles resultou na apresentação dos covers, clássicos nas apresentações do cantor.

John Mayer Trio. Foto: Reprodução/Instagram

Descontraído e visivelmente à vontade ao lado de seus companheiros de banda, Mayer provou que manda muito bem e não possui “estrelismos”, apresentando sua versão para os clássicos “Cross Road Blues“, de Robert Johnson e “Wait Until Tomorrow“, sucesso eternizado em 1986 por Jimi Hendrix no álbum “Axis: Bold as Love“, hit que integra também o álbum “Try!“, do John Mayer Trio, lançado em 2005.

Banda

Os músicos de John Mayer são sensacionais. Ao lado do astro em determinados momentos do show, a banda conta com o poder de complementar toda a apresentação. Durante o “Chapter 4: Full Band (Reprise)” (Capítulo 4: Banda Completa (Reprise), John recebe novamente os artistas ao palco para entoar mais hits.

John Mayer e David Ryan Harris. Foto: Reprodução/Instagram

Um dos momentos mais especiais foi quando John recebeu uma incrível introdução de seu músico, David Ryan Harris, para a música “Slow Dancing In A Burning Room“, décima quinta faixa da setlist, que abriu espaço para os sucessos “Stop This Train” e a aguardada “Waiting On The World To Change“.

“Gravity”

Mas foi em “Gravity“, sem dúvidas, que John colocou os mais de 15 mil fãs abaixo. O refrão “Gravity is working against me / And gravity wants to bring me down” pôs todo público para cantar em uníssono, com as luzes dos celulares acesas, deixando o fim da apresentação ainda mais especial.

John é um showman. Em cerca de 1h40 de apresentação, o cantor fez no Rio de Janeiro o maior concerto dos cinco que apresentou no Brasil em novembro e reafirmou sua marca e poder. Para o artista, o Rio realmente é um dos lugares mais especiais.

Veja a galeria de fotos do show:

Veja a setlist do show: 

Capítulo 1: Banda Completa

  • Helpless
  • Why Georgia/No Such Thing
  • Love On The Weekend
  • Rosie
  • Who Says
  • Moving On Getting Over


    Capítulo 2: Acústico

  • Daughters
  • Love Is a Verb
  • Split Screen Sadness
  • LA Song


    Capítulo 3: Trio

  • Crossroads
  • Vultures
  • Wait Until Tomorrow


    Capítulo 4: Banda Completa

  • Belief
  • I Don’t Trust Myself
  • Slow Dancing/Confortable
  • Stop This Train
  • Waiting On The World To Change


    BIS

  • In the Blood
  • Gravity

 

Em show melódico, John Mayer recheia plateia com clássicos e se desculpa por demora no retorno ao país
To Top