Público. Foto: Divulgação.
Música

Rio das Ostras Jazz & Blues: festival fortalece a economia do estado do Rio

Foto: Divulgação

A crise econômica traz desafios e possibilidades. Com quinze anos de sucesso, o Rio das Ostras Jazz & Blues Festival já agita a economia da cidade e promete ajudar o estado do Rio de Janeiro a superar o momento. O festival, o maior gratuito da América Latina de jazz e blues, faz parte do calendário Rio de Janeiro a Janeiro, Programa do Ministério da Cultura. A partir de 2013, uma parceria com a Fundação Getúlio Vargas, faz a análise do impacto econômico na economia da cidade e constatou a injeção, em média, de cerca de R$ 9 milhões na economia durante a festa.

Memora se apresenta no Mondial de La Bière São Paulo com a turnê #AosVivoseAgora

Em 2016, o evento possibilitou a injeção de cerca de R$ 8 milhões na economia do município, em cinco dias, segundo pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Turismo em parceria com a FGV. No mesmo ano, a mídia espontânea gerou um retorno para a cidade de cerca de R$ 3 milhões, comprovada pelo interesse e credenciamento de 80 jornalistas da mídia impressa e eletrônica, consolidando a cidade como destino turístico nacional e internacional dos amantes da boa música.

Durante o período de realização do Festival, a taxa de ocupação nos meios de hospedagem chega a 100%. O festival é amado pelos moradores de Rio das Ostras, com 98% de aprovação, de acordo com pesquisas realizadas nos últimos anos pela Prefeitura, em parceria com o Rio das Ostras Convention & Visitors Bureau e a Fundação Getúlio Vargas.

Legado cultural:

Além das contribuições econômicas que o evento propicia, contribuiu ainda para aumentar o interesse em torno da Escola de Música de Rio das Ostras. O festival incentivou a Orquestra KUARUP (composta por 30 jovens da cidade) que todo ano faz a abertura do festival acompanhada de um grande músico brasileiro. O evento também possibilitou a criação da Luteria Escola (oficina para construção e conserto de instrumentos musicais) com alunos das escolas públicas de Rio das Ostras, que produzem cerca de 250 instrumentos por ano.

Stanley e Armandinho. Foto: Divulgação.

Stanley e Armandinho. Foto: Divulgação.

Serão 29 shows gratuitos com artistas nacionais e internacionais em palcos localizados na Praça São Pedro (11h15), Lagoa de Iriry (14h30) e Costazul (20h).  O  festival é hoje o espaço musical mais democrático do país. Desde a sua criação em 2003, realizou mais de 500 shows, palestras e workshops gratuitos para cerca de um milhão de espectadores, estimulando o interesse pela música de alta qualidade e criando oportunidades para o público conferir de perto alguns dos maiores nomes do jazz, do blues e da música instrumental.

A programação paralela, na Casa do Jazz e do Blues, em Costazul, traz shows de novas bandas que estão se destacando no estado do Rio de Janeiro, com apresentações nos intervalos dos shows principais. O festival traz ainda o Clube do Vinil espaço onde os aficionados e colecionadores das famosas “bolachas” poderão trocar ideias, comprar e trocar seus discos.

Rio das Ostras Jazz & Blues: festival fortalece a economia do estado do Rio
To Top