Rock

Apesar da chuva, Sublime with Rome mostra o que tem de melhor em apresentação no Rio

Foto: PopNow/Ana Clara Carvalho

O Sublime with Rome, fusão de Eric Wilson, membro da histórica banda de Ska Punk/Reggae Sublime, com Rome Ramirez encerrou sua passagem pelo Brasil com show no HUB RJ, no Santo Cristo.

A abertura da noite ficou por conta do La Raza, que trouxe uma mistura de rap e rock pesado pro evento. A banda fez uma apresentação curta, mas intensa, incluindo um cover de “Give It Away”, do Red Hot Chili Peppers. Com discurso firme e atitude, Panda empolgou o público presente. Quando o quinteto subiu ao palco, já era 23h, mas a casa ainda estava vazia. Pode-se dizer que foi um ‘aquece’ à altura do que estava por vir: uma apresentação do Sublime with Rome.

Sublime with Rome faz show animado na Audio Club, em São Paulo

A transição entre uma banda e outra levou mais de uma hora e, nesse meio tempo, a casa ficou completamente lotada, trazendo um ar mais de se tratar de um show dentro de uma festa do que o contrário. Parte do público, inclusive, não conseguiu adentrar à área onde o palco estava. Muitas pessoas (muitas mesmo!) se posicionaram entre os lounges e camarotes, alguns cantando e outros apenas curtindo a vibe da música ambiente. Pra quem viu de fora, pareceu superlotação, com quantidade de público excedendo muito o que estava projetado para o local. A situação gerou desconforto, especialmente para os fãs que ficaram de fora do espaço principal.

Às 0h30, Rome Ramirez trouxe seu trio para o stage com o objetivo de empolgar a galera com os principais hits da era Sublime, que já completa 20 anos, além dos lançamentos mais recentes do grupo nesta nova formação, com Rome, com os álbuns “Yours Truly” (2011) e “Sirens” (2015). Logo de cara, o trio apresentou dois grandes sucessos do Sublime, com “Date Rape” e “Wrong Way”. Entre uma e outra, um cover bem apropriado e indicado para o momento, do clássico “Smoke Two Joints”, do The Toyes.

“Como vocês estão? Temos muitas músicas e hoje só estamos começando!” – Rome Ramirez, após “Wrong Way”.

Bastante confortáveis e familiares com o público brasileiro, ao qual Rome descreveu em entrevista exclusiva ao PopNow como do tipo que dá 150% no show, essa não foi a primeira vez do grupo em terras brasileiras. Por isso, eles pareciam, de fato, estar em casa. Mas mesmo com tanta proximidade com os fãs e com o país, não rolou nenhuma palavrinha em português e a gente sentiu aquela falta de ouvir o sotaque de Rome falando um ‘obrigado’ que fosse, né? Mas tudo bem.

A banda compensou colocando peso nas guitarras e com uma acústica excelente, inclusive boa para quem estava mais afastado do front stage. Em “Murdera”, uma improvisação curta de Rome inserindo trechos do refrão de “Better Now”, do rapper Post Malone, mostrou que o grupo se mantém atual e fiel aos estilos que valorizam em suas canções como um todo: algumas com um inclinação e tendência mais próxima ao reggae, enquanto outras com elementos mais puxados pro rap e hardcore. A sonoridade do Sublime with Rome, inclusive, transpareceu no público-alvo, que estava ali por eles e não pela festa/evento em geral. Os fãs, em grupos enormes de amigos, completamente descolados e good vibes.

Os ânimos estavam tão quentes que nem a chuva espantou a galera, embora tenha apertado ainda mais as pessoas debaixo da área coberta do HUB. Durante a hora e meia que estiveram no palco, Rome (vocais/guitarra), Eric Wilson (baixo)e Carlos Verdugo (bateria)entregaram tudo o que tinham de disposição, ainda que todas as interações tenham ficado na conta do vocalista.

No repertório, composto por 15 músicas, teve cover de Bad Religion em “We’re Only Gonna Die” e de Grateful Dead em “Scarlet Begonias”. Fora isso, foi contemplação de Sublime pra fã algum botar defeito. Hits como “Badfish”, “April 29, 1992”, “Let’s Go Get Stoned” e “Perfect World” tiveram reações bem efusivas por parte da plateia. Mas foi no grand-finale que a galera foi a loucura. Quem não conhece “What I Got” e “Santeria”? Os singles, que marcaram uma geração, foram jogados para a ‘galera’ no refrão, que fez bonito e assumiu de vez o espírito Sublime de ser: paz e amor. Entre rodinhas de amigos se abraçando e pessoas de olhos fechados cantando as faixas, Rome Ramirez se despediu, agradecendo o carinho e confiança do público brasileiro, sempre acolhedor com o trio.

Já dá pra querer a volta deles pra nossa terrinha?!

Veja a galeria de fotos do show: 

Apesar da chuva, Sublime with Rome mostra o que tem de melhor em apresentação no Rio
To Top