Rock in Rio

Aerosmith voa no palco, eleva nível e se destaca entre as melhores apresentações do Rock in Rio

Com quase 50 anos de carreira e um grande renome, não se é estranho em afirmar: o Aerosmith fez o melhor show deste Rock in Rio até agora. Com uma performance empolgante e muita energia, os veteranos elevaram completamente o nível dos shows do festival. Com os principais sucessos na setlist, a banda passeou por hits de toda a carreira.

Desenvoltura, presença de palco e música boa, seriam esses os três pilares para uma apresentação extraordinária? Se sim, Steven Tyler e sua trupe fizeram por onde e merecem troféu. Mas o presente, esse foi dado aos cerca de 100 mil fãs que lotaram a Cidade do Rock neste quarto dia de Rock in Rio, primeiro da segunda semana.

Aerosmith. Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

O show

Steven Tyler é um espetáculo por si só, essa não é nenhuma novidade. Com shows em diversas capitais do Brasil, os norte-americanos de Boston mostraram apenas um pouco do são capazes e do porquê são, sem dúvidas, uma das maiores bandas de Rock de todos os tempos.

Às 0h37, os veteranos subiram ao palco para delírio dos fãs. Sob gritos, os astros subiram ao palco de maneira simples. Vestindo um sobretudo prateado com estampa de asa nas costas, o frontman da banda pôs tudo abaixo com sua desenvoltura espetacular. “Let The Music Do The Talking”, do álbum “Done with Mirrors”, de 1985, foi o responsável por abrir a apresentação, seguido por “Love in An Elevator”.

Com suas unhas pintadas de preto, Tyler surpreende no palco. Em ” Cryin'”, hit do álbum “Get a Grip”, o norte-americano tocou uma gaita, fazendo com que o público entrasse em êxtase e em estado de arrepios.

A interação entre banda e público é genial. Cativante, o líder do Aerosmith voa no palco, com suas roupas largas e correndo de um lado para o outro. Aos 69 anos, Steven mostra que está em boa forma física, mental e vocal, e que a experiência fez muito bem a ele.

Em “Livin’ on the Edge”, terceira track, o artista quis ouvir o público. Em porte de seu pedestal – fiel escudeiro na apresentação – com diversos panos e lenços pendurados, Tyler posicionou o microfone à plateia, dando um aperitivo do que vinha à seguir: o cantor desceu as escadas frontais do palco e se rendeu ao público, aproveitando para pegar o celular de uma fã e tirar uma selfie.

Aerosmith. Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

Carão

Steven Tyler foi só “carão”. À vontade no palco, a estrela fez questão de interagir em todos os momentos com as diversas câmeras de TV que percorriam o stage. Em “Fallin’ Love”, chegou a insinuar sexo com um dos equipamentos, para delírio do público.

Tyler é um artista nato que mistura presença, voz, sucessos, irreverência e passa muita humildade, tornando a apresentação sensitiva e verdadeira. Ele até que tentou falar português, mas a tentativa não saiu como o esperado. “Um minuto, por favor”, disse no nosso idioma, antes de apresentar um dos membros da banda.

No palco, os astros passam uma história e dizem metaforicamente “nós inventamos o Rock’n Roll”.

Aerosmith. Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

“Crazy”

Todos os grandes sucessos da bandas foram entoados na apresentação, mas foi na sequência de “Crazy” e “I Don’t Wanna Miss a Thing”, dois dos maiores hits, que o público foi à loucura. Entre choros e gritos, Steven e seus rapazes se mostravam completamente afáveis e descontraídos.

Além do som mais “pauleira”, houve espaço para um clima mais romântico. Em um piano de calda branco localizado na passarela central do palco, Tyler iniciou a performance da penúltima música do set, “Dream On”, 1973. Dividindo espaço em cima do instrumento, o vocalista e Joe Perry, guitarrista, aproveitaram para extravasar.

Aerosmith. Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

Gran finale

Com quase duas horas de duração e 16 músicas apresentadas, “Walk This Way”, do álbum “Toys in the Attic”, de 1975, foi escolhida para encerrar o show, mas se engana quem pensava que ps artistas estavam cansados. Enérgico, Tyler voltou a descer do palco e interagir com a câmera, dando um beijo no equipamento de vídeo antes de retornar ao ponto central – (Quem estamos com inveja?) -.

“Boa noite, Brasil”, disse apresentando a banda de forma descontraída e conversando com o público.

Sob fogos e papeis picados, o Aerosmith ficou no palco até o último segundo. “Obrigado a todos por virem hoje. Rock in Rio do caralh*”, disse Perry após ser apresentado pelo cantor.

“Obrigado, Deus os abençoe!” – Steven Tyler

@rockinrio it’s almost time!!! #Aerosmith

A post shared by Aerosmith (@aerosmith) on

Outros shows

Além do Rock in Rio, o Aerosmith se apresentou em Belo Horizonte, no Estádio do Mineirão, no dia 18. A banda também será uma das atrações do São Paulo Trip, evento que reunirá ainda Bon Jovi, Alice Cooper e Guns ‘n Roses, no Allianz Parque, em São Paulo.

 

Aerosmith voa no palco, eleva nível e se destaca entre as melhores apresentações do Rock in Rio
To Top